Telhados e paredes verdes em condomínios auxiliam a economizar energia

eCycle

Esverdear telhados e paredes é uma tendência mundial, veja como aplicar essas técnicas no seu condomínio e como eles podem ajudar a economizar dinheiro

Telhados e paredes verdes em condomínios

Os telhados verdes, ecotelhados ou telhados ecológicos consistem na implantação de cobertura vegetal em telhados, em lajes ou em coberturas de edifícios. Eles formam um isolamento da radiação direta do sol, ao contrário de telhados escuros que absorvem muito mais calor. Essa técnica reduz a necessidade de aparelhos de refrigeração durante o calor e de aquecimento para o inverno, mantendo a temperatura mais constante. Também apresenta outros diversos benefícios, como retenção de partículas de poeira, purificação de ar capturando gases de efeito estufa (GEEs) e de água da chuva, diminuindo o escoamento superficial e consequentemente as enchentes, absorção de ruídos e aumento da biodiversidade nas cidades.

Estudos apontam os telhados verdes como uma ótima tecnologia para economizar energia gasta pelo ar condicionado, já que a temperatura em telhados vegetados não passa de 25°C, enquanto telhados convencionais chegam a até 60°C. A cobertura vegetal atua como um isolante térmico devido à água da chuva ou de irrigação (que fica retida no solo) e à absorção da luz e calor pelas plantas, que são convertidas em energia por meio da fotossíntese.

A escolha das espécies que serão plantadas também é muito importante - saber que a espécie irá sobreviver a temperatura, ventos e chuvas do local e que ela irá absorver calor em vez de refleti-lo é essencial para a eficiência do ecotelhado.

Os telhados verdes em condomínios podem ser instalados nas coberturas dos prédios, em áreas comuns como churrasqueiras, guaritas, salões de festa, ou qualquer local que possua uma boa estrutura e espaço disponível. A instalação deve ser feita por profissionais, pois os telhados verdes são compostos por camadas que dependem do tipo de vegetação que será plantada. Geralmente são formados por suporte, controle de vapor, manta de isolamento termal, camada impermeabilizante, camada de drenagem, camada filtrante, substrato e a vegetação. Todo esse sistema tem um peso e o local de instalação deve suportá-lo.

Outra técnica sustentável que ajuda na economia de energia, além de todos os outros benefícios ambientais já citados, são as paredes verdes, paredes vivas ou jardins verticais. As paredes verdes em condomínios podem ser implantadas em algumas áreas comuns, como na parede dos salões de festas. Além de apresentarem os mesmos benefícios do telhado verde, o resultado estético é incrível.

Também é possível incentivar cada apartamento a criar seu próprio espaço vegetado na varanda ou em janelas e assim se formará uma espécie de parede verde protegendo o prédio inteiro. As vantagens econômicas irão compensar o investimento em algum tempo, pois não é necessário o uso de materiais caros para a estética da varanda, as plantas irão realizar este serviço e também diminui gastos com manutenção e limpeza de sujeiras e manchas pois as plantas funcionam como filtros (saiba mais na matéria "Plantas que podem ser cultivadas em casa e que funcionam como purificadores de ar"). Como o telhado, as plantas tornarão o ambiente mais fresco o que reduz o uso de ar condicionado. A foto abaixo mostra o Bosco Verticale (Floresta Vertical), dois prédios residenciais na Itália, um belo exemplo de floresta vertical na arquitetura.

Telhado verde condominios Bosco Verticale Italia Floresta Vertical

Os telhados verdes já são obrigatórios em alguns países, como a França, que obriga novas edificações comerciais a implantem o ecotelhado ou painéis solares. Mas este não é o único exemplo... Na Europa, essa técnica já é bem comum e o número de adesões aos projetos desse tipo de design só aumenta - diversos outros países e cidades obrigam ou estimulam esse tipo de iniciativa com incentivos fiscais.

O Brasil também já percebeu a importância dos ecotelhados e começa a dar seus primeiros passos para regulamentar e incentivar essa prática. Por exemplo: Santos concede desconto de 1,5% a 10% no IPTU dos condomínios que aderirem; já Recife torna obrigatório prédios com mais de quatro pavimentos e área coberta acima de 400 m² a implantação de telhados verdes. No quesito nacional, existe o PL n° 1703/2011 em tramitação, que prevê incentivos fiscais para os edifícios de condomínios que instalarem ecotelhados em mais de 65% de sua cobertura. Em São Paulo, existe o corredor verde do Minhocão, no centro da cidade - trata-se da implantação de jardins verticais em prédios com empenas cegas (paredes externas sem janelas). Essa é uma tendência mundial de construção, por isso vale se adiantar e conversar com seu síndico ou moradores sobre a viabilidade da instalação. Além da redução do consumo de energia, seu condomínio se tornará mais sustentável, mais bonito e agradável, e também irá valorizar seu imóvel.

Caso não seja viável a instalação de telhados ou paredes verdes no seu condomínio, existe ainda uma outra solução que ajuda na redução do consumo de energia. Os chamados telhados brancos, também ajudam no controle da temperatura interna do ambiente, pois o telhado é pintado com tinta branca refletora e grande parte do calor do sol não é absorvido. Porém não traz tantos benefícios quanto as técnicas verdes.

Veja o vídeo sobre os telhados verdes na cidade.


Fonte: Green Roofs

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail