Britânico cria tapete que gera energia elétrica com a força de pisadas

eCycle

Cada pisada produz 7 watts. Uma lâmpada localizada na parte central do tapete se acende para mostrar que a energia foi captada

A busca por fontes alternativas de obtenção de energia já é uma preocupação de cientistas e designers que lidam com o tema devido ao fato das fontes tradicionais de combustível, como petróleo, serem finitas e poluentes. Já existem diversas formas bem inusitadas de se obter energia: através de campos eletromagnéticos, de algas e até de tecidos e plásticos. Mas você já imaginou que um tapete também pudesse ter essa função?

É justamente essa a ideia por trás da nova invenção do britânico Laurence Kemball-Cook. Trata-se de um tapete que gera energia elétrica através da energia cinética criada por pisadas. Batizado de Pavegen, ele tem um modo de funcionamento simples: uma placa de absorção de energia fica localizada abaixo da cobertura feita com borracha reciclada. Ele converte energia cinética (da força das pisadas) em energia elétrica, que é armazenada para ser usada para os mais diversos fins, como no abastecimento em postes públicos e semáforos ou em recargas de baterias e dispositivos eletrônicos.

As placas são flexíveis, à prova d’água, pesam 28 kg e tem uma potência de 12 volts de corrente contínua. Cada pisada produz 7 watts de potência e leva ao acendimento de uma luz na parte central da placa, que demonstra que a energia foi captada. A borracha reciclada é preponderante na parte superior. Já as bases da placa são formadas com mais de 80% de materiais reciclados.

Pavegen é ideal para o centros urbanos em que existe uma circulação grande de pessoas. Um dos locais que serviu como teste para o produto foi a estação de trem em West Ham, em Londres. Lá, foram instaladas várias placas, formando um tapete para conseguir captar uma quantidade de energia razoável (veja mais aqui).

Esse foi mais um produto que tentou o financiamento coletivo, conhecido no exterior como crowdfunding, na plataforma do Kickstarter. Na tentativa de atrair as pessoas para o financiamento do Pavegen, os criadores resolveram instalar algumas dessas placas no corredor de uma escola, no Reino Unido. No entanto, surpreendentemente, o projeto não atingiu a quantia previamente estipulada no prazo determinado.

Mas isso não abalou os criadores. O Pavegen despertou interesse de marcas e instituições conhecidas, como a ONG World Wildlife Foundation (WWF) e a companhia de bebidas Johnnie Walker. A WWF, na Hora do Planeta do ano de 2012, fez uma pista de dança com as placas e uma mesa de luz interativa (veja mais aqui). Já a empresa de uísque criou o Johnnie Walker Keep Walking Project em Madri, na Espanha, em que 42 milhões de passos foram "coletados" para serem convertidos em energia elétrica.

Outra divulgação da iniciativa se deu no Brasil, no TEDxRio+ 20, em que o design Laurence Kemball-Cook veio dar uma palestra sobre a sua criação (confira o vídeo aqui).

Aplicação e viabilidade

Uma das várias possibilidades de uso das placas seria a sua instalação massiva em calçadas, o que faria com que as simples caminhadas gerassem energia para alimentar os postes de luz. Outra opção seria o uso da nova tecnologia em estações de metrô. Imagine a quantidade de energia que não seria gerada com o enorme número de pessoas circulando nos horários de "rush". Daria para manter o funcionamento das lâmpadas da estação.

Quanto à comercialização do produto, não se sabe o preço exato, mas um porta-voz da Pavegen adiantou que, depois de cortar os custos pela metade em relação ao ano de 2012, o objetivo é fazer com que o preço gire em torno de R$ 154 por placa.

Para mais informações, visite o site oficial da Pavegen.

Confira o vídeo abaixo (em inglês) sobre divulgação do produto:


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail