Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Especialistas descobrem o quanto de microplásticos ingerimos por semana

Uma nova pesquisa realizada na Universidade Médica de Viena, na Áustria, sugere que uma pessoa comum ingere cerca de cinco gramas de microplásticos por semana. Esse valor é equivalente ao peso de um cartão de crédito e pode ser ingerido de diversas formas. 

Nas últimas semanas, cientistas também foram capazes de provar a existência do material nos pulmões e corrente sanguínea de humanos.

A maioria dos testes realizados para a comprovação desses efeitos foi realizada em outros animais, portanto, é difícil traduzir o que pode acontecer no organismo humano. De acordo com a pesquisa, um dos possíveis efeitos é a alteração da composição do microbioma intestinal, que pode causar problemas metabólicos como obesidade e diabetes. Além disso, alguns nanoplásticos já foram responsáveis por desencadear vias químicas envolvidas na formação de câncer

A ingestão do microplástico, contudo, não é um mistério e pode ser rastreada para embalagens de comida, garrafas de água e até mesmo o sal de cozinha. Os cientistas da pesquisa conseguiram comprovar que pessoas que usam garrafas de plástico e bebem até dois litros de água por dia podem ingerir cerca de 90 mil partículas de micro e nanoplásticos por ano. Porém, substituir as garrafas de plástico pela água da torneira (filtrada), pode diminuir esse número em até 50 mil. 

Evitar o consumo de microplásticos é cada vez mais difícil, uma vez que essas partículas já foram encontradas nos cantos mais remotos do planeta e a produção de plástico anda em crescimento constante.

É estimado que até 2040 a produção de plástico dobre, o que pode ter resultados catastróficos para o meio ambiente e para a saúde humana. O plástico leva cerca de 450 anos para se decompor, e é estimado que 80% de todo o material já produzido ainda esteja presente no meio ambiente. 

Contudo, os cientistas da pesquisa compartilharam algumas dicas que podem ajudar na redução da quantidade de plástico ingerida. 

Além da substituição da garrafa de plástico, é possível evitar esquentar alimentos em recipientes de plástico e optar por porcelana ou vidro. Também é importante tentar evitar embalagens de plástico nos alimentos, uma vez que o material já foi encontrado em bolsas de chá e pacotes de arroz. 

As roupas também são fontes de liberação de microplástico, uma vez que são feitas de materiais como o elastano e o poliéster. Por isso, é importante optar por fibras biodegradáveis, como o algodão ou o linho. Para aprender outras dicas de como evitar a poluição por microplásticos, dê uma olhada na matéria: