Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Como as datas de validade são estipuladas, qual a ciência por trás delas e será que elas importam mesmo?

A maioria dos produtos comercializados contêm datas de validade, com exceção de produtos frescos como frutas e vegetais. Então, é comum se perguntar em algum ponto se essas datas são mesmo verídicas, principalmente para as pessoas que preferem não desperdiçar comida. 

Existem alguns tipos de testes realizados na indústria alimentícia para ajudar nessa determinação. Seja estudos microbianos que envolvem a observação de certos tipos de patógenos ou o cálculo de como os níveis de acidez e umidade podem interagir com o alimento, essas datas são estipuladas e impressas para o público. 

Contudo, é comum que essas datas estejam erradas. Na maioria das vezes, é possível apontar se um alimento está estragado ou não dependendo de sua aparência ou cheiro. 

Então, por que elas são adicionadas? Embora muitas pessoas acreditem, as datas de validade não são criadas para a segurança do consumidor, e sim para determinar quando o produto não está na sua melhor qualidade.

Nesses casos, mais comuns em alimentos industrializados, a data sugere que o alimento terá a melhor consistência e sabor antes da data estipulada. Portanto, é um pouco improvável que esses alimentos apresentariam algum risco para a saúde, se não parecem estragados. Porém, ainda assim existem exceções. 

Produtos como leite ou ovos podem oferecer alguns riscos se passados da validade, portanto é necessário prestar um pouco mais de atenção nesses alimentos. 

As datas de validade, contudo, são realmente válidas para alguns alimentos, condimentos ou suplementos. São eles: fórmulas e comidas de bebês, vitaminas, remédios, fermento, pectina e misturas para bolo — que não funcionam após suas datas de validade. 

Nos Estados Unidos, as datas de validade não possuem nenhuma regulamentação, por não oferecerem dados referentes à saúde. Já no Brasil, essas datas apareceram pela primeira vez na década de 80 e são exigidas pela legislação, de acordo com o Ministério da Saúde. 

De acordo com a Anvisa, o alimento dentro do prazo de validade deve permanecer seguro para o consumo e não causar infecções ou intoxicações alimentares, manter suas características originais e manter sua qualidade sensorial. 

Porém, essas datas podem ser um dos motivos para o desperdício de alimentos, uma vez que essas datas possam estar longe de estarem corretas. 

Mesmo sendo exigidas pela lei, ainda é possível estabelecer se o alimento está apropriado pelo consumo seguindo alguns parâmetros, como analisando o cheiro e aparência da comida em questão.