Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Sistema, além de sustentável, oferece construções em qualquer forma

Os tecidos biológicos são estruturas formadas por milhões de células arranjadas de uma maneira bastante específica que, juntas, compõe o corpo de animais e vegetais.

Uma característica fundamental dos tecidos está no próprio arranjo celular. Quando uma célula é danificada, ela é rapidamente substituída por outra, sem que o tecido como um todo pare de funcionar. Ao observar o funcionamento dessas estruturas, o arquiteto austríaco Thomas Herzig criou uma nova concepção de design, inspirada exatamente nos tecidos celulares.

Batizado de Pneumocell, o novo sistema é formado por placas modulares de plástico inflável que podem ser montadas nas mais diversas formas e que, assim como nos tecidos, podem ser substituídas sem que a estrutura da construção sofra qualquer risco de ser desmontada.

A sustentabilidade é uma das palavras chave para esse tipo de arquitetura. As placas são extremamente leves, o que faz com que seu transporte libere menos gases do efeito estufa e ocupam menos espaço.

Além disso, o plástico usado na fabricação das placas é o poliuretano termoplástico (TPU) que, ao contrário do policloreto de polivinila (PVC), é totalmente reciclável e não emite compostos químicos tóxicos em sua queima. Outras vantagens do Pneumocell são seu custo baixo, grande resistência e durabilidade.

Mais uma vez, a biomimética mostra soluções inteligentes e sustentáveis para os problemas do dia-a-dia dos homens. Para saber mais sobre o projeto, assista ao vídeo abaixo:

Veja também:
Projeto inovador de ilha sustentável em Istambul comporta até 300 mil habitantes
Cabines flutuantes e modulares aproximam homem e natureza