Plantas carnívoras: fatos e curiosidades

eCycle

Conheça alguns fatos e curiosidades sobre as fascinantes plantas carnívoras

As plantas carnívoras, também chamadas de plantas insetívoras, são aquelas que se adaptaram a uma alimentação à base de insetos. Estima-se que existam mais de seiscentas espécies conhecidas de plantas carnívoras, que constituem um grupo muito diverso. Essas plantas podem ser encontradas tanto no ambiente terrestre como no marinho.

Embora realizem fotossíntese, assim como seus irmãos e irmãs verdes, as várias espécies de plantas carnívoras complementam sua dieta com carne para obter todos os nutrientes necessários para sua sobrevivência. A maioria delas come insetos, mas alguns tipos comem animais maiores, como ratos, pássaros e peixes. Felizmente, as plantas carnívoras apresentam tamanho reduzido – e nenhuma delas se alimenta de seres humanos!

Armadilhas: como as plantas carnívoras prendem os alimentos

O primeiro passo é atrair uma refeição. As plantas carnívoras utilizam principalmente cores, néctares e aromas, mas algumas até brilham no escuro para chamar a atenção de suas presas. Assim que a refeição potencial fica intrigada, elas disparam sua armadilha. As plantas carnívoras fazem isso usando um dos cinco métodos a seguir:

Armadilhas tipo “jaula” ou mordedoras

A planta abre e fecha suas folhas, em uma fração de segundo, em torno de presas desavisadas.

Armadilhas de sucção, jarros ou urnas

Entradas que se abrem quando seus gatilhos são estimulados. Assim que a entrada é aberta, tudo ao redor da planta carnívora é sugado para dentro, incluindo a refeição que estimulou os gatilhos.

Armadilhas de folhas colantes

As glândulas colantes se espalham pelas folhas ou por toda a planta, excretando uma substância pegajosa para capturar pequenos insetos.

Armadilhas do tipo ascídios

Os ascídios são folhas inchadas e ocas, como se fossem urnas. Essas plantas carnívoras possuem um líquido que digere a presa quando ela passa pela entrada da planta e cai em seu interior. Este tipo de armadilha captura invertebrados e até pequenos vertebrados.

Onde crescem as plantas carnívoras

Algumas plantas carnívoras são fáceis de encontrar em certas partes do mundo, mas outras podem ser extremamente raras. Embora venham em todas as formas e tamanhos diferentes, eles compartilham algumas características comuns, como a preferência por lugares quentes e úmidos. Por isso, regiões tropicais e subtropicais, especialmente florestas na América do Sul e na Ásia, são locais adequados para o crescimento das plantas carnívoras.

No entanto, muitas espécies ainda vivem em áreas mais temperadas. Um exemplo é a armadilha de Vênus (Dionaea muscipula), provavelmente a planta carnívora mais conhecida no mundo. Essa espécie é nativa da Carolina do Norte e da Carolina do Sul.

Ao contrário da maioria das plantas, as plantas carnívoras normalmente se dão bem em solos pobres em nutrientes, e é por isso que complementam sua dieta com carne. Isso torna as áreas próximas aos pântanos um local perfeito para elas, já que a competição de outras plantas é baixa em razão da qualidade inferior do solo. Uma exceção notável são as dróseras, que crescem em campos áridos e brilhantes e prendem insetos com resíduos pegajosos.

Ecologia das plantas carnívoras

Aquáticas ou terrestres, as plantas carnívoras têm uma ecologia basicamente semelhante. Espécies de dois ou três gêneros (por exemplo, Sarracenia, Drosera e Pinguicula) crescem sempre quase lado a lado. É provável que a maioria seja encontrada em lugares úmidos, pântanos e margens lamacentas ou arenosas, onde a água é abundante em épocas sazonais e onde os materiais nitrogenados costumam ser escassos ou indisponíveis, em virtude de ácidos e outras condições desfavoráveis ​​do solo. A Drosophyllum lusitanicum, por outro lado, cresce em colinas secas de Portugal e Marrocos.

No geral, as plantas carnívoras são relativamente pequenas, mas a variação de tamanho é enorme, mesmo dentro do mesmo gênero. A maioria são plantas perenes herbáceas com menos de 30 cm de altura, geralmente apenas 10 a 15 cm. Algumas espécies de Nepenthes, no entanto, tornam-se grandes videiras arbustivas. As espécies de Drosera variam de alguns centímetros a um metro ou mais de altura (D. gigantea); os menores geralmente estão escondidos entre musgos em pântanos.

Principais famílias de plantas carnívoras

A maior família de plantas carnívoras, a Lentibulariaceae (ordem Lamiales), é marcada por flores bilateralmente simétricas com pétalas fundidas e apenas duas anteras. Essa família conta com mais de 300 espécies em três gêneros: as bexigas (Utricularia), as borboletas (Pinguicula) e as saca-rolhas (Genlisea). Empregando uma variedade de mecanismos de captura, os membros dessa família são predominantemente ervas de habitats úmidos ou aquáticos e atacam insetos e outros invertebrados.

A família Droseraceae (ordem Caryophyllales) compreende três gêneros e cerca de 154 espécies, quase todas dróseras. O gênero aquático Aldrovanda contém apenas uma espécie, a planta de roda d'água (A. vesiculosa), que às vezes é cultivada em aquários como curiosidade. Da mesma forma, o gênero Dionaea abrange apenas a armadilha de Vênus (D. muscipula), conhecida por sua armadilha instantânea e de ação rápida.

Drosera platypoda
Drosera platypoda por Jan Wieneke sob CC BY-SA 3.0

Conhecida como plantas arco-íris, a família Byblidaceae (ordem Lamiales) contém um único gênero (Byblis) de cerca de sete espécies carnívoras nativas da Austrália e da Nova Guiné. Essas ervas têm folhas estreitas densamente cobertas por pelos glandulares que servem como armadilhas de folhas colantes, para absorver os nutrientes dos insetos.

A família das bromélias (Bromeliaceae, ordem Poales) possui pelo menos três espécies carnívoras: Brocchinia reducta, B. hectioides e Catopsis berteroniana. Essas espécies capturam presas com suas folhas compactas, que são características da família. Elas não possuem enzimas digestivas e, por isso, dependem de bactérias para digerir suas presas.

Como faço para ter minha própria planta carnívora?

As plantas carnívoras são inconstantes. Uma vez que muitas variedades são difíceis ou quase impossíveis de cultivar fora de seus habitats naturais, recomendamos começar com uma armadilha de Vênus, que é acessível e pode ser encontrada em lojas de jardinagem. Seguindo as dicas abaixo, será fácil cuidar delas!

  • Certifique-se de que o solo ou meio de cultivo que você está usando seja baixo em nutrientes e tenha uma boa drenagem.
  • Mesmo que seja tentador, não toque na "boca" da planta para acionar a armadilha, pois isso pode danificá-la.
  • Cultive a planta em um pequeno terrário, pois isso permite alimentá-la com moscas vivas. Lembre-se de que a armadilha de Vênus não come moscas mortas.
  • Alimente suas plantas com moscas pequenas apenas uma vez a cada duas semanas e não use nenhum outro alimento.
  • Dê à planta bastante luz solar e mantenha o solo úmido.

Fontes: Engledow Group, Britannica e Plantas carnívoras do Brasil e do mundo

Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar pelo site você concorda com o uso dos mesmos. Saiba mais ×