Glitter ecológico: receitas caseiras para brilhar naturalmente

eCycle

Já pensou em fazer seu próprio glitter ecológico em casa e sem peso na consciência? É possível!

glitter

Glitter ecológico existe! Você pode fazer glitter ecológico em casa ou até mesmo utilizar o "glitter natural". Mas espera um pouco... Você sabe porque estamos falando sobre glitter ecológico? É porque o glitter convencional é um microplástico e não é nada brilhante para o meio ambiente, sendo considerado não sustentável.

Então encontramos alternativas de glitter que não levam plástico em sua composição, e são biodegradáveis ou naturais, ou seja, alternativas sustentáveis.

Glitter ecológico de gelatina vegetal

Para fazer o glitter ecológico de gelatina é importante adquirir gelatina vegetal, pois ela possui um poder gelificante dez vezes maior que o da gelatina animal. Além disso, a gelatina vegetal, feita com alga ágar, não necessita ir à geladeira para ficar firme e também não derrete em temperatura ambiente, como a outra.

Como não é de origem animal, a gelatina vegetal também é ética para quem se preocupa com os direitos animais, como os veganos.

O preço da gelatina vegetal é aparentemente maior que o da gelatina animal, porém, ela rende muito mais, tornando o custo-benefício muito atraente.

Ingredientes:

  • 1 colher de sopa de gelatina vegetal em pó;
  • 1/2 xícara de água de beterraba gelada.

Material:

  • Borrifador de água;
  • Forma lisa;
  • Pincel largo e macio;
  • Microprocessador de alimentos ou liquidificador.

Modo de preparo

Para fazer o glitter ecológico de gelatina vegetal você vai precisar de água colorida de beterraba (ou algum outro alimento que dê cor à água, como o açafrão). Para isso, cozinhe as beterrabas que irá comer e leve a água restante (que sobrar do cozimento) ao fogo para evaporar até a quantidade reduzir a meia xícara e concentrar bem a cor da beterraba.

Coloque a gelatina em pó num pote de vidro e borrife a água de beterraba gelada uniformemente, sem misturar. Coloque no micro-ondas por 30 segundos, parando a cada dez segundos para misturar. Pincele a gelatina na superfície lisa (como uma forma ou algo do tipo) escolhida. Deixe secar por no mínimo seis horas. Depois de seco, corte a folha em pedaços menores. Por fim, bata tudo no microprocessador ou liquidificador. Para obter glitter grande e pequeno utilize uma peneira.

Glitter ecológico de sal

O legal de fazer glitter ecológico de sal é que o próprio sal pode ser encontrado nas cores branca, rosa e preta. Mas se você quiser utilizar uma cor diferente o ideal é utilizar o sal branco. Você vai precisar fazer seu corante em casa:

Ingredientes:

  • 1 xícara de sal;
  • 1 colher de sopa de gel de babosa;
  • 1 colher de sopa de corante caseiro.

Modo de preparo

Para fazer o glitter ecológico de sal primeiro é preciso preparar o corante. Veja aqui como preparar seu corante caseiro. Depois de pronto, reduza a água do seu corante levando-o ao fogo baixo. Misture-o ao sal e deixe secar bem. Se estiver com pressa, coloque o sal em um coador de voal e seque com secador. Para fixação do glitter no corpo use algo grudento como o gel natural da babosa.

Pó de mica

O pó de mica é uma espécie de "glitter natural". Isso mesmo, ele ocorre naturalmente no planeta. O pó de mica vem das rochas, então se você lavar no chuveiro e ele voltar para o ambiente não tem problema, pois é de lá que ele veio. O legal de utilizar o pó de mica como glitter ecológico é que ele já vem pronto. E você encontra ele nas cores dourada, prateada, branca, preta, marrom, roxa, verde, entre outras. O pó de mica também é conhecido como pigmento em pó, e é muito utilizado na coloração de sabonetes e cosméticos.

Por que o glitter de plástico é vilão

O glitter convencional é feito de plástico, ou seja, nada mais é do que centenas de pedaços de microplástico. E o microplástico é o pior formato de plástico para a saúde do meio ambiente. Isso porque, uma vez que o microplástico escapa para o ambiente, ele se torna invisível e entra mais facilmente na cadeia alimentar.

Quando retiramos o glitter no banho, por exemplo, ele é levado pelo encanamento do esgoto e, como todo microplástico, ele é pequeno demais para ser filtrado pelo sistema de tratamento de esgoto, por isso acaba parando em rios e mares.

Quando chega no mar, o glitter viaja por longas distâncias e pode se tornar menor ainda, o que facilita sua absorção pelos seres marinhos e consequente entrada na cadeia alimentar. O pior é que os microplásticos como o glitter absorvem substâncias perigosas para os organismos e, uma vez na cadeia alimentar, seus danos podem ser irreparáveis. Para saber mais sobre esse tema confira as matérias: "Entenda o impacto ambiental do lixo plástico para a cadeia alimentar" e "Glitter é insustentável. Entenda o porquê".


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail