Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Matéria-prima dos cartuchos usados na máquina tem 25% de plástico reciclado

As impressoras 3D estão invadindo o mercado. No ramo sustentável, já existe a impressora 3D de grama, mas a Ekocycle é diferente: ela reaproveita plásticos pós-consumo, como garrafas PET, para que sejam usados como matéria-prima para um novo objeto.

Desenvolvida pela 3D Systems, a máquina tem capacidade para imprimir objetos de até 15 centímetros, e tem resolução de 0,07 milímetros. O mecanismo tem cartuchos que são compostos por aproximadamente 25% de plástico reciclado. É como se estivessem contidas três garrafas PET de 600 ml em cada cartucho.

Para fazer a impressão, o usuário deve ter em mão um celular com o aplicativo oficial da máquina instalado – as cores disponíveis são vermelho, natural, branco e preto. Também há alguns formatos 3D prontos no aplicativo, como anéis, palhetas e cases para celular.

Empresas como Coca-Cola e Levi’s apoiam a iniciativa. O cantor e produtor Will.i.am é co-fundador da empresa. Estima-se que o produto seja lançado comercialmente no segundo semestre de 2014 ao custo de US$ 1,2 mil.

Assista ao vídeo abaixo que mostra um pouco de como funciona a impressora:

Veja também:
Impressora 3D chinesa constrói dez casas em um dia
Estudantes eslovenas criam impressora 3D de grama
Cientistas criam impressora 3D que reproduz tecido sintético