Lixo doméstico: o que é, como embalar ou reciclar

eCycle

Saiba como embalar cada tipo de resíduo para descarte e aprenda como reciclar pelo menos uma parte do seu lixo doméstico

Os resíduos sólidos são um problema no mundo inteiro. Diante desse cenário, uma das ações possíveis é reduzirmos a geração do nosso lixo doméstico. Mas, quando não é possível evitar que o lixo se acumule, o que fazer com ele? Cada tipo de lixo doméstico tem um destino e um tratamento diferente. E não basta separar o lixo, é preciso embalar o lixo doméstico de forma correta e também aprender como reciclar o lixo doméstico - pelo menos uma parte dele.

Como embalar e descartar cada tipo de lixo doméstico

Alimentos e vegetais

Antes de pensar em descartar os resíduos alimentares e vegetais (podas, entre outros), devemos pensar em não consumir (comprar) nada daquilo que não será necessário. Mas se mesmo assim houver sobras, como cascas de banana, podemos pensar em formas de reutilização por meio do consumo ou da compostagem.

Evite geração de resíduo por meio do consumo ou compostagem

A maioria dos restos alimentares e de podas são compostáveis e essa alternativa evita a emissão de metano (CH4) e ainda permite a reutilização do que era resíduo na forma de húmus.

E a compostagem não é só para quem tem espaços de terra disponíveis... Quem mora em apartamento também pode fazer.

Se, no caso dos vegetais e restos alimentares, nenhuma das duas alternativas forem viáveis para você, também existe a possibilidade de embalar os resíduos alimentares e vegetais em geral em sacolas biodegradáveis.

Embalar em sacolas biodegradáveis

Como restos alimentares, guardanapos e podas são compostáveis é possível embalar esse tipo de resíduo em sacolas biodegradáveis para que sejam compostados. Entretanto, a compostagem só acontece com a presença de oxigênio, condições adequadas de luz, umidade, temperatura e presença micro-organismos. O problema é que, na maioria dos aterros e lixões, essas condições não existem, o que faz com que, durante a degradação, não ocorra a compostagem, o que acaba gerando gás metano.

Existem diversos tipos de plástico biodegradável que compõem as sacolas biodegradáveis, cada um com suas vantagens e desvantagens. Nessa categoria de plástico estão o plástico verde, o plástico de amido, o plástico PLA e os oxibiodegradáveis.

Se você pretende embalar o lixo orgânico em sacolas biodegradáveis de algum dos tipos citados, o ideal é que o resíduo embalado seja destinado para usinas de compostagem ou para aterros em que haja captação de metano para produção de combustível, pois, como explicado anteriormente, em aterros e lixões comuns não há condições ideais para ocorrer a compostagem. Caso o resíduo orgânico vá para lixões e aterros comuns, talvez seja até mais indicado utilizar a sacola não biodegradável, para que o plástico não se fragmente rapidamente não permitindo a emissão de gases (como o metano) para a atmosfera e de chorume para o solo.

Fezes de animais

Composte as fezes do seu cachorro. Se isso não for possível, o caso é semelhante ao item acima (alimentos e vegetais).

Recicláveis

Papel, papelão, madeira, eletrônicos, alumínio, vidro, bronze, enfim, há muita coisa que é reciclável.

Se não houver possibilidade de reutilização desse material ou se o serviço de coleta do seu município não aceitar esse tipo de material, é possível que você mesmo o destine a postos de coleta mais próximos de sua residência.

Mas para isso é preciso embalá-los. É importante não inseri-los em sacolas biodegradáveis, pois se passar muito tempo essas sacolas podem se degradar e contaminar o material.

Se as sacolas biodegradáveis forem do tipo oxibiodegradável, significa que elas contém aditivos pró-degradantes. E, se o material embalado for plástico, é possível que esse aditivos pró-degradantes presentes na sacola oxibiodegradável acabem o degradando também, o que inviabiliza a reciclagem.

Embalar em sacolas recicladas ou recicláveis

Para destinar aos postos de coleta é melhor embalar o material reciclável em recipiente ou sacola plástica reciclada ou reciclável. Se você mesmo for levar até o local, talvez seja possível embalar em sacolas ou caixas retornáveis para que, após a entrega, você possa reutilizá-las.

Medicamentos

O descarte incorreto de medicamentos é muito perigoso para a saúde humana e do ambiente.

Não se deve colocar medicamento para a coleta comum, o ideal é destiná-los em posto de saúde, farmácias ou postos de coleta. Saiba mais em "Entenda os riscos do descarte de medicamentos e como evitar".

Embalar em sacolas recicladas ou recicláveis

Se você mesmo for levar o medicamento até o local é viável transportá-lo em sacolas retornáveis para que, após a entrega, você as reutilize. Caso contrário, é indicado utilizar sacolas recicladas ou recicláveis, pois o material não é compostável para serem utilizadas sacolas biodegradáveis. Na verdade, é o contrário... Trata-se de um material que não deve estar em contato o ambiente, então estar embalado num recipiente durável é mais indicado até que seja feito o tratamento do resíduo.

Pilhas e baterias

Não faça o descarte de pilhas e baterias no lixo comum, mesmo que elas acabem em aterros sanitários essa prática causa danos ao ambiente e à saúde das pessoas. A Política Nacional de Resíduos Sólidos obriga a empresa fabricante a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, então você pode contata-la. Do contrário consulte quais são os Postos de Recolhimento mais próximos à sua residência a partir do mecanismo de busca do Portal eCycle.

As pilhas e baterias são recicláveis mas no caminho até a destinação final ou reciclagem elas podem vazar contaminantes. Então, para destiná-las corretamente embale-as em sacolas plásticas resistentes recicladas ou recicláveis para que não haja contato com umidade nem vazamentos.

Não recicláveis

A categoria dos não-recicláveis ou dos itens que têm difícil reciclagem, como é o caso do espelho, é bastante grande. Nessa categoria também estão os objetos de cerâmica, seringas, adesivos, fita crepe, papel carbono, fotografias, fraldas e absorventes descartáveis... E a lista continua!

Se não for possível reutilizar, é preciso descartar. Como esse tipo de material não é compostável, é melhor embalar o lixo não reciclável em sacolas recicláveis ou recicladas.

Espelhos, objetos de cerâmica e seringas (como é comum com diabéticos, por exemplo) além de não recicláveis, são resíduos cortantes e, no caso da seringa, potencialmente infectante, então é preciso cuidado especial ao embalá-los.

No caso dos espelhos e objetos cortantes de cerâmica, se não for possível reutilizá-los, é aconselhado embrulhá-los em jornal, papelão, fita crepe e, se couber, colocá-los em sacola reciclável ou reciclada, em que você deve deixar sinalizado que o material embalado é cortante. Em seguida, você pode encaminhá-los para postos de coleta.

As seringas devem ser colocadas numa garrafa de PET tampada e lacrada com fita crepe. Tenha cuidado para não ultrapassar 2/3 do nível de preenchimento do recipiente e, posteriormente, insira-as numa sacola reciclável ou reciclada, sinalizando que se trata de material infectante e pefurocortante. Você pode levar essas sacolas até o posto de saúde público mais próximo ou na farmácia em que você comprou o material.

Consulte as regras da sua cidade

Cada prefeitura possui uma legislação diferente para identificação dos sacos plásticos para a coleta. Em São Paulo, por exemplo, o lixo reciclável deve ser embalado em sacolas verdes e o não-reciclável, em sacolas cinzas. Consulte as leis da sua cidade.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail