Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Turismo voluntário, também chamado de volunturismo, é um tipo de turismo em que os envolvidos querem mais do que viajar: eles procuram por trabalho voluntário, que geralmente acontece em uma instituição de caridade ou organização sem fins lucrativos. O viajante que se voluntaria a ir para regiões com mais necessidades pode ter objetivos relacionados a tempo, dinheiro, serviços médicos ou mesmo treinamento. Desse modo, o volunturismo é uma combinação entre viajar e retribuir.

Apesar de parecer bastante positivo, o turismo voluntário tem sido questionado: realmente há resultados positivos? As instituições são verdadeiras ou algumas se aproveitam da causa para lucrar? Essas questões evidenciam a necessidade de conhecer bem a instituição para a qual se destina e, assim, ter certeza de que realmente será um trabalho com resultados positivos.

Formas de turismo voluntário

Os programas de volunturismo oferecem diversas opções de trabalho voluntário que podem envolver causas relacionadas ao meio ambiente e à sociedade.

Suporte para comunidades

turismo voluntário comumente envolve suporte a comunidades necessitadas. Nesse caso, podem ser envolvidos serviços diversos, como construção de casas, escolas, bibliotecas e outros tipos de infraestrutura, além de empoderamento de mulheres e outros trabalhos que visem reduzir as desigualdades sociais dentro da comunidade.

Ensino

O ensino de línguas é uma forma comum de turismo voluntário, bem como a criação de recursos educacionais em comunidades carentes.

Cuidados infantis

Trabalho em orfanatos e em organizações de jovens desfavorecidos e refugiados que buscam asilo temporário são outras opções de voluntariado em que se busca melhorar o bem-estar e desenvolvimento das crianças e jovens.

Assistência médica

É comum entre os médicos as viagens para comunidades carentes visando dar assistência médica, administrar vacinas, educar sobre as doenças e como evitá-las, entre outras práticas relacionadas à saúde. Esse tipo de turismo também pode servir como treinamento para estudantes da área.

Conservação

Outro tipo de turismo voluntário é o voltado para a preservação ambiental e conservação animal. Normalmente, os voluntários viajam para santuários de animais, realizam pesquisa de campo ou podem trabalhar rastreando espécies nativas.

A verdade sobre o turismo voluntário

Quem escolhe fazer trabalho voluntário, geralmente tem a melhor das intenções, que é ajudar de alguma forma a sociedade e a organização envolvida. Há outras pessoas, no entanto, que procuram a causa por motivos equivocados, como ilustra o vídeo a seguir desenvolvido pela Radi-Aid:

Nessas situações, a capacidade dos turistas voluntários de fazer a diferença é bastante limitada. Muitas vezes eles não possuem as habilidades necessárias para lidar com o problema ou com a comunidade e podem, na verdade, apenas perpetuar imagens negativas e estereotipadas sobre os lugares que visitam.

Alguns estudiosos apontam que os próprios anúncios das instituições contribuem também para essa imagem negativa. Na África, por exemplo, há campanhas que clamam pela participação de voluntários que possam ajudar crianças órfãs e carentes. Isso conserva a imagem de uma África desesperada por ajuda que tem comovido diversos turistas voluntários.

Ainda não se sabe o real impacto a longo prazo na vida das crianças envolvidas nesses trabalhos. Mas estudos indicam que elas podem desenvolver expectativas irrealistas sobre o seu futuro.

Essa é a marca de uma crescente indústria de turismo voluntário que movimenta bilhões de dólares anualmente e que envolve diversas questões obscuras. As intenções dos voluntários podem até ser boas, mas as instituições envolvidas nem sempre possuem essas mesmas intenções e os efeitos nem sempre são positivos.

Há instituições se aproveitando de catástrofes (como terremotos e tsunamis) para atrair turistas, sensibilizá-los e cobrar taxas que não são utilizadas para o bem da comunidade (confira relatos a respeito: 12).

No Nepal, por exemplo, um orfanato chamado Happy Home, que convidava turistas voluntários para ajudar crianças órfãs, estava, na verdade, se aproveitando da causa para lucrar. Essa situação fez com que especialistas alertassem dizendo que as taxas de voluntariado e os dólares dos doadores podem acabar indo para os bolsos do proprietário do orfanato e não para ajudar as crianças.

Devemos evitar o turismo voluntário?

Especialistas defendem que o turismo voluntário não precisa ser necessariamente abandonado. Há muitos pontos positivos na prática, como o envolvimento intercultural que colabora, por exemplo, na mitigação da xenofobia.

É preciso, porém, estar atento às instituições, sobretudo aos orfanatos. Além disso, as experiências dos voluntários precisam ser reformuladas, investindo em suas reais habilidades de modo a trazer resultados benéficos para a comunidade.

Esse tipo de trabalho precisa envolver um estudo sobre história política, social, econômica e cultural do lugar a ser visitado, para que o voluntário tenha consciência com profundidade a respeito do sistema e da desigualdade.

Isso também pode colaborar para derrubar o estereótipo a respeito de uma região ou comunidade. Para isso, o Guia de mídia social para voluntários e viajantes da Radi-Aid sugere que o voluntário também trabalhe para derrubar esses estereótipos compartilhando informações novas, diferentes e complexas, sempre alinhando-se à verdade e à realidade.

Há organizações que são eficazes e respeitáveis, administram bem o projeto de voluntariado, fornecem treinamento e utilizam critérios específicos para selecionar os participantes. É preciso investigar com cautela para encontrá-las.