Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Tromba d’água é uma nuvem funil que se forma sobre um corpo d’água

tromba d’água pode ser definida como um fenômeno meteorológico que consiste na formação de uma coluna giratória composta por vapor e água, em nuvens espessas que se movem, gerando um cone cuja base fica voltada para o alto. O funil é visível em decorrência das nuvens de vapor de águas condensadas.

As trombas d’água podem ocorrer em séries e famílias e são mais comuns em áreas litorâneas e sobre águas tropicais e subtropicais. Entretanto, elas também acontecem em locais de clima temperado, como Europa ou Grandes Lagos da América do Norte.

Diferença entre cabeça d’água e tromba d´água

Como dito anteriormente, o termo tromba d’água caracteriza um tornado que se forma sobre uma superfície líquida e segura umidade. Apesar da aparência assustadora, as trombas d’águas não provocam tanta destruição. Em comparação com os tornados, suas rajadas de vento são mais leves. Isso acontece porque a formação da espiral de ventos depende do aquecimento da superfície.

Vale ressaltar que o grande risco para esse fenômeno é para as embarcações, visto que a intensidade dos ventos pode tirar os barcos e navios de rota.

Muito confundida com a tromba d’água, a cabeça d’água é um fenômeno meteorológico causado pelo aumento do nível da água em rios. Ele ocorre quando há uma grande quantidade de chuva em partes superiores de cachoeiras ou ao longo do curso d’água. Dessa maneira, os banhistas são surpreendidos pela força d’água, que sobe rapidamente. As cabeças d’água ocorrem principalmente no verão, quando as chuvas são mais fortes.

Como ocorre uma tromba d’água

Uma tromba d’água surge a partir de grandes nuvens de tempestade. Para que o fenômeno ocorra, correntes de ar quente devem levar bastante umidade para camadas mais altas da atmosfera. Em estações de clima ameno, as correntes de ar quente e úmido que sobem do mar se chocam com o ar frio e seco das camadas elevadas. Dentro da nuvem, o contato entre as correntes faz surgir uma espiral de ventos.

Quando a intensidade das correntes é grande, o turbilhão de ventos se expande e atinge a superfície do mar, soprando gotículas de água para dentro da espiral. Impulsionado pelas rajadas da baixa atmosfera, a tromba d’água avança rumo ao continente.

Quando chega ao continente, a tromba d’água entra em contato com as construções do litoral, provocando uma chuva rápida e intensa. A tempestade não costuma causar inundações, já que os pingos caem ao longo de toda a trajetória da espiral, e não em uma única área. Os ventos também não são tão fortes.

Depois do atrito com a terra firme e com as construções da orla, a maioria das gotículas de água já caiu no continente. Os ventos também perdem força e a tromba d’água começa a se dissipar. Todo o processo é bem rápido: a maioria dos tornados oceânicos não costuma durar mais que 20 minutos.