Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Marte é o sétimo planeta do sistema solar e é alvo de muitas pesquisas que buscam entender se existiu vida por lá

Marte, também chamado de planeta vermelho, é um planeta frio e desértico. Ele é o sétimo planeta do sistema solar e seu tamanho equivale à metade da Terra. Há muitos anos, cientistas investigam a possibilidade de ter existido vida em Marte e as descobertas são diversas. Ao mesmo tempo, outras pessoas investigam as condições do planeta, almejando povoá-lo com seres humanos. Não se sabe, entretanto, os possíveis impactos disso. 

Características de Marte

Marte possui uma atmosfera composta principalmente de dióxido de carbono, nitrogênio e argônio. O ar é bastante rarefeito, a pressão do ar no topo do Monte Everest, por exemplo, é cerca de 50 vezes maior do que na superfície marciana. O ar de Marte pode atingir mais de 95 quilômetros por hora, levantando poeira que alimenta enormes tempestades de poeira e grandes campos de dunas de areia.

Marte não possui um sistema tectônico de placas ativas como a Terra e nem um campo magnético planetário. Assim, a falta de uma barreira protetora torna mais fácil para as partículas de alta energia do Sol removerem a atmosfera do planeta vermelho, provavelmente por isso a atmosfera de Marte é tão fina.

No planeta vermelho, há montanhas, vales e vulcões. Olympus Mons, por exemplo, é o maior vulcão do sistema solar, chegando a 25 quilômetros acima da superfície de Marte, tornando-se três vezes mais alto que o Everest. Marte também é o planeta dono dos vales mais longos. O sistema de vales chamado Valles Marineris chega a 10 quilômetros e corre na direção leste-oeste por aproximadamente 4 mil quilômetros.

As estimativas sugerem que o núcleo de Marte é feito de ferro e níquel, contendo mais enxofre que o núcleo da Terra. Já a superfície do planeta se difere dependendo do hemisfério. O hemisfério norte de Marte consiste principalmente em planícies baixas e a crosta pode ter apenas 30 quilômetros de espessura. No hemisfério sul, há terras altas, com muitos vulcões e com crosta de 99 quilômetros de espessura. Mas ambos estão igualmente cobertos pela poeira característica de Marte, que faz com que ele tenha tons de laranja, vermelho e marrom.

Marte tem água?

As investigações científicas indicam que, em um passado distante, a atmosfera de Marte era suficientemente densa e retinha calor suficiente para que a água permanecesse líquida na superfície do planeta. Acredita-se que a água tenha escapado para atmosfera, sobrando somente gelo e calotas polares. Mas um estudo publicado na Science mostra que a água pode estar, na verdade, presa dentro de minerais na crosta do planeta.

Uma das participantes dessa pesquisa, Caltech Eva Scheller, aponta que o escape atmosférico não explica totalmente os dados existentes sobre a quantidade de água que existiu em Marte. A água é composta de hidrogênio e oxigênio, sendo que os átomos de hidrogênio são criados de forma diferente, formando, em alguns casos, deutério, também chamado de hidrogênio “pesado”.

O estudo em questão propõe que a combinação de dois mecanismos – o aprisionamento de água em minerais na crosta do planeta e a perda de água para a atmosfera – pode explicar o sinal de hidrogênio “pesado” observado na atmosfera marciana. 

Há vida em Marte?

Algumas missões espaciais determinaram que algumas partes de Marte eram habitáveis por alguns períodos há muito tempo. Isso, no entanto, não é evidência de que existiram vidas passadas em Marte. Sabe-se que há uma chance de existir vida microbiana sob as calotas polares e em lagos subterrâneos.

A NASA anunciou que certos sais orgânicos provavelmente estão presentes em Marte. Embora isso não signifique que eles foram necessariamente criados pela vida no planeta, é um sinal encorajador, pois, na Terra, a matéria orgânica é fonte de energia para os organismos. A partir dessas descobertas, o plano dos pesquisadores é procurar pontos quentes desse tipo de substância e investigá-los com maior profundidade.

Parte do interesse em Marte está relacionada ao desejo de enviar seres humanos para lá. Elon Musk, por exemplo, bilionário e fundador da SpaceX, está construindo um veículo enorme para enviar humanos a Marte, povoando o planeta com 1 milhão de pessoas.

Não se sabe, porém, como a atividade humana afetará o planeta vermelho. Mas sabemos que, aqui, a atividade humana gerou consequências diversas, colocou a Terra à beira de um colapso e culminou na crise climática. Por isso, é sempre bom lembrar que ainda temos um planeta para cuidar antes de qualquer outro: o nosso planeta Terra!