Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Estimativas preveem diminuição das chuvas na região

De acordo com um estudo publicado nesta semana, a emissão de gases causadores do efeito estufa e a redução da camada de ozônio estão fazendo com que o sul da Austrália se torne uma região mais seca. O declínio de chuvas australiano começou na década de 1970 e se intensificou nos últimos anos, de acordo com cientistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês).

Estima-se que a tendência deve se manter nas próximas décadas, na maior parte da larga região. Segundo afirmação da equipe à revista Nature Geoscience, deve haver reduções totais no outono austral e na precipitação no período de inverno em aproximadamente 40% ao final do século 21.

Tais dados sobre chuvas foram feitos a partir de um modelo de computador que simulou impactos provocados pelo homem e naturais em todo o clima global. A queda de precipitação tem relação com o aumento de emissões e com a redução da camada de ozônio.

Os dados da simulação mostraram que erupções vulcânicas e mudanças nos níveis de energia solar não tiveram a força necessária para explicar a seca australiana das últimas décadas.

Em março de 2014, a Organização Meteorológica Mundial (OMM), disse em comunicado que temperaturas com recorde de alta em 2013 seriam “virtualmente impossíveis” sem as emissões humanas de gases estufa. No último verão, cidades como Adelaide e Sydney sofreram com altas temperaturas e tempo seco.

Veja também:
Relatório da ONU mostra que “descarbonização” é possível
Para melhorar monitoramento de poluição, governo chinês faz parceria com IBM