Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Energia complementar é um termo utilizado para caracterizar uma fonte de energia capaz de substituir outra, quando esta está em seu período de intermitência

Energia complementar é um termo utilizado para caracterizar uma fonte de energia capaz de substituir outra, quando esta está em seu período de intermitência. Sendo assim, complementaridade energética significa utilizar diversas fontes de energia para garantir a segurança energética. 

Nesse sentido, é importante se ter uma variedade de fontes de energia, para que elas sejam alternativas para momentos específicos do dia. Em tempos de estiagem, por exemplo, utilizar a luz solar para gerar energia elétrica pode ser uma solução. 

Energia intermitente

Energia intermitente é um termo utilizado para caracterizar um “recurso energético que, para fins de conversão em energia elétrica pelo sistema de geração, não pode ser armazenado em sua forma original”, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em outras palavras, uma fonte de energia apresenta a característica de intermitência quando a geração de eletricidade ocorre somente no momento em que o recurso estiver disponível. 

Isso significa que a sua geração de energia elétrica não será constante ao longo de um dia, por exemplo, nem pode ser armazenada quando não houver disponibilidade. Dessa maneira, a maioria das fontes renováveis são intermitentes, pelo fato de não possuírem sua geração de eletricidade disponível 24 horas por dia.

As energias solar, eólica e hidrelétrica podem ser citadas como exemplos de fontes de energia intermitentes e complementares.

Energia solar

Energia solar
Imagem de schropferoval por Pixabay

Energia solar é a energia eletromagnética cuja fonte é o Sol. Ela pode ser transformada em energia térmica ou elétrica e aplicada em diversos usos.

A produção de energia elétrica pode ser feita a partir de dois sistemas. O primeiro, chamado de heliotérmico, converte a radiação solar em energia térmica e, posteriormente, em energia elétrica. Já o segundo, que recebe o nome de fotovoltaico, converte a radiação solar diretamente em energia elétrica.

Energia eólica

Energia eólica é a energia produzida a partir da energia cinética do vento (massas de ar em movimento) e do aquecimento eletromagnético do Sol (energia solar), que, juntos, movimentam as pás de captadores.

A energia cinética do vento normalmente é convertida em energia mecânica por moinhos e cataventos, ou em energia elétrica por turbinas eólicas (ou aerogeradores).

Energia hidrelétrica

Energia hidrelétrica é o aproveitamento da energia cinética contida no fluxo de massas de água. A energia cinética promove a rotação das pás das turbinas que compõem o sistema da usina hidrelétrica para, posteriormente, ser transformada em energia elétrica pelo gerador do sistema.

Exemplos

A energia hidrelétrica é a principal fonte da matriz elétrica do Brasil. Ela necessita de grande quantidade de água, em muitos casos – armazenada em imensos reservatórios. Dessa maneira, a geração de energia é diretamente influenciada pela disponibilidade desse recurso, sendo prejudicada durante os períodos de seca.

No Nordeste do País, a energia hidrelétrica já apresenta escassez, devido aos severos períodos de seca e ao aumento do consumo de energia. Uma solução é a complementariedade energética solar e eólica. Durante os períodos de seca, esta região recebe fortes ventos, que favorecem a geração de energia por meio das usinas eólicas.

Além disso, na região Sul do Brasil – durante o período de estiagem, é possível aproveitar a força dos ventos para gerar energia. Assim, é possível tirar de operação algumas instalações térmicas, fazendo com que a matriz tenha um percentual maior de fontes renováveis.

O mesmo acontece com a energia solar. Durante os períodos de estiagem, a energia fotovoltaica pode ser utilizada como fonte complementar, por exemplo.