Sabão em pó tem muitos aditivos e é o tipo mais poluente

eCycle

Conheça mais sobre o sabão em pó, como ele é fabricado, como ele atua na limpeza e se ele pode oferecer algum risco

Lavar roupa não é uma tarefa fácil, principalmente se há muitas manchas nos tecidos que só saem depois de esfregar bastante. Por conta disso, surgiram vários tipos de sabão em pó com propriedades que ajudam a limpeza. Eles são muito práticos, pois é só inseri-los na máquina e pronto, não nos preocupamos mais. Mas do que eles são fabricados? Como eles agem? E eles podem causar algum dano a saúde e ao meio ambiente?

O que é o sabão?

Todos os tipos de sabões são substâncias denominadas tensoativas, ou seja, diminuem a tensão formada entre dois líquidos. Assim, elementos como a água e o óleo perdem a capacidade de se manterem separados. O sabão tem o papel na limpeza pois consegue interagir tanto com substâncias polares (água) quanto com as apolares (sujeira). Assim ocorre a formação de micelas, que são gotículas de gordura aprisionadas por moléculas de sabão. Este processo de formação de micelas recebe o nome de emulsificação.

Sabão em pó

Apesar do nome "sabão em pó" ele possui um tensoativo sintético como nos detergentes (provindo do petróleo), e assemelha-se muito mais a ele do que ao sabão obtido através de uma reação de saponificação. Além da propriedade tensoativa, comum aos sabões e detergentes, o sabão em pó possui  agentes sequestrantes e quelantes (veja mais aqui). Esses compostos retiram os íons de cálcio e magnésio que estão presentes na água e que podem reduzir a ação do sabão. Pode-se utilizar vários tipos de substâncias para essa finalidade, como os fosfatos por exemplo.

Esses compostos, apesar de aumentarem a eficácia, baratearem o custo do produto final e serem atóxicos, causam diversos problemas ao meio ambiente. Um deles é a eutrofização que compromete a os recursos hídricos e a vida aquática (veja mais aqui).

Em virtude disso, surgiram as primeiras normas a respeito do tema. No Brasil, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), visando a redução e possível eliminação do uso de fosfato nos detergentes e sabões em pó, criou a resolução Conama 359/05, que dispõe sobre a regulamentação do teor de fósforo para o uso no mercado nacional.

Além dos agentes sequetrantes e quelantes, o sabão em pó conta com a adição de alguns aditivos para diversas finalidades. Na maioria dos casos, os aditivos são empregados com a função de remoção de manchas das roupas. Esses agentes podem agir por oxidação, redução ou ação enzimática. Entre esses, o mais empregado em fórmulas específicas com ação alvejante é o perborato de sódio, que em solução aquosa fornece peróxido de hidrogênio, poderoso agente oxidante. Outros removedores de manchas são as enzimas. Elas são proteínas que agem como catalisadores nas reações bioquímicas, decompondo estruturas moleculares complexas em estruturas mais simples, facilitando sua remoção das roupas.

Uma característica interessante do sabão em pó é a quantidade de espuma. Muitas pessoas pensam que a espuma é sinal de limpeza, mas isso é um erro. Vários sabões muito eficientes praticamente não fazem espuma. De forma proposital, são acrescentadas substâncias antiespumantes para que a espuma não saia da máquina e a limpeza continue eficiente.

Em determinados sabões em pó são encontrados clarificantes ópticos, que são corantes que absorvem luz ultravioleta, emitindo luz fluorescente azul. Desta forma, através da luz azul, a cor amarela é mascarada para o olho humano, apesar de ainda estar presente no tecido.

Outro elemento que pode ser encontrado é o cloro, famoso por seu poder de limpeza, mas que pode causar problemas à saúde. Apesar de ser um agente de limpeza, quando utilizado para lavagem de roupas junto com o amaciante, muito comum atualmente, pode ocorrer a formação de cloroaminas, substâncias facilmente absorvida pelo corpo. As consequências vão desde irritação na pele e nos olhos até problemas mais sérios.

Os sabões em pó utilizados para lavar roupas são os que mais possuem poder de limpeza pela adição desses vários aditivos, mas em contrapartida, são os mais poluentes e os que mais agridem a pele. Utilize-os somente caso seja realmente necessário.

Alternativas

Qualquer produto de higiene causa algum tipo de impacto. O importante é sempre ponderar o uso e fazer escolhas certas. Sempre que possível evite o uso do sabão em pó, busque alternativas de limpeza com produtos caseiros. Para lavar roupas, uma boa opção é fazer o seu próprio sabão líquido lava-roupas (clique aqui para ver como fazer).

Procure conhecer e testar os produtos de limpeza ecológicos que existem no mercado, existem marcas que não possuem mais fosfatos na composição, confira no rótulo. Dê preferência aos produtos que tenham selo de certificação. Isso significa que a empresa passou por uma auditoria sobre os processos e matérias-primas utilizadas.

Veja também:
-Guia do sabão
-Saiba como ser mais sustentável ao comprar sabão
-Produtos de limpeza concentrados são opções mais sustentáveis
-Bicarbonato de sódio funciona como produto de limpeza
-Dia de faxina
-Sal de cozinha: eficiente produto de limpeza
-Dicas de lavagem de roupa
-Como fazer economia nos produtos de casa?


 

Comentários  

 
0 #1 2014-05-20 19:32
Há um equívoco nesta matéria... O que chamam sabão em pó, na realidade nunca foi sabão e nem é denominado assim... Desafio alguém a encontrar a palavra "sabão" em qualquer das embalagens. Todos, à exceção do Sabão de coco Ruth e algum outro, são alquibenzenos, portanto, detergentes. Se não estiver escrito "sabão" na embalagem não é sabão...

Uma boa alternativa é comprar sabão de coco em barra e ralar num ralador de queijo comum... É muito mais barato e o rendimento é ótimo.
Citar
 
 
0 #2 2014-05-23 16:18
Citando Cristiano Requião:
Há um equívoco nesta matéria... O que chamam sabão em pó, na realidade nunca foi sabão e nem é denominado assim... Desafio alguém a encontrar a palavra "sabão" em qualquer das embalagens. Todos, à exceção do Sabão de coco Ruth e algum outro, são alquibenzenos, portanto, detergentes. Se não estiver escrito "sabão" na embalagem não é sabão...

Uma boa alternativa é comprar sabão de coco em barra e ralar num ralador de queijo comum... É muito mais barato e o rendimento é ótimo.


Olá Cristiano, obrigado pelo comentário. Deixamos mais claro no texto o fato de tratar-se de um tensoativo sintético, mais próximo de um detergente. No entanto, a nomenclatura adotada precisa ser preservada em razão de se tratar da linguagem usualmente adotada pelos consumidores, o que lhes facilita encontrar o conteúdo que buscam, sendo o principal do texto explicitarmos os efeitos ambientais da substância, no que sua recomendação sobre ralarmos o sabão de côco foi valiosa.

Por uma pegada mais leve,
Equipe eCycle
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail