Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Casas de madeira podem ser a nova aposta da indústria da construção civil para um futuro mais sustentável

Casas de madeira podem parecer coisa do passado, mas na verdade estão mais próximas do futuro do que a clássica estrutura de concreto. Isto porque a indústria da construção civil tem considerado alternativas mais ecológicas e que duram mais, como as construções de madeira maciça. O material não contém fibras sintéticas, apenas madeira pura. 

Para se ter uma ideia sobre o poder de uma construção feita deste tipo de madeira, podemos usar de exemplo o templo Hōryū-ji no Japão. Construído há mais de 1.300 anos, o complexo budista segue em pé como um dos mais antigos prédios estruturados com o material. Com esse exemplo, pode-se dizer que as casas de madeira oferecem segurança e longevidade, fatores essenciais para a vida humana.

Mas além deste templo, existem outros diversos exemplos de casas de madeira pelo mundo. Um deles é o mais alto arranha-céu de madeira do mundo, a famosa Torre Mjøsa, localizada em Brumunddal, na Noruega. A construção foi finalizada em março de 2019, com 18 andares. Ela tem cerca de 85,4 metros de altura e conta com um hotel, residências particulares e escritórios. Assim como outros edifícios deste material, a torre foi montada a partir de painéis de madeira laminada cruzada, ou CLT (sigla em inglês para  Cross-Laminated Timber, que em português significa madeira laminada cruzada).

O impacto das casas de madeira no meio ambiente

Cerca de 40% da emissão de carbono (CO2) no mundo é derivada da construção e operação de edifícios. Toda a trajetória da montagem de um prédio ou casa afeta o meio ambiente de forma direta, desde a preparação do cimento até o momento que essa construção deixa de ser utilizada pelo ser humano.

Um dos materiais mais utilizados nessas obras é o cimento. É aí que mora o perigo, pois o cimento é um dos grandes responsáveis pela emissão de gases de efeito estufa (GEEs) das construções civis. Estudos realizados na área revelaram que cerca de 5% da emissão global de dióxido de carbono é de responsabilidade das cimenteiras.

Isso porque, mesmo que não sobre resíduos sólidos do processo de fabricação – haja vista que eles são misturados com o produto final  – as fábricas emitem muitos gases poluentes, provenientes da queima do material. Além disso, o procedimento libera outros resíduos como: óxido de enxofre, óxido de nitrogênio, monóxido de carbono e composto de chumbo. Todos esses produtos são nocivos para o meio ambiente. Nesse contexto, as casas de madeira se mostram mais vantajosas em termos de impactos ambientais.

Benefícios da construção com madeira maciça

Em contraponto, a madeira funciona como um armazenador de CO2. Afinal, enquanto vivas, as árvores absorvem dióxido de carbono por meio do processo de fotossíntese. Ao invés de liberarem esse GEE no ar com a sua decomposição, os painéis de CLT, usados nas obras, o mantém “guardado”. Assim, diminui a possibilidade de poluição do ar. 

Outro benefício da utilização de madeira na construção civil é a facilidade de logística. A madeira pode ser fabricada de maneira modular, o que permite que a construção de edifícios seja feita apenas com o encaixe de uma estrutura na outra. Um exemplo bem sucedido desse tipo de construção é a torre LifeCity, localizada na Áustria. Ela foi construída em pouco mais de uma semana, com madeira pré-fabricada. 

Desta maneira, a substituição dos prédios de concreto por construções alternativas, como as casas de madeira, é promissora. Principalmente para a indústria da construção civil, que vem sendo constantemente cobrada a respeito dos impactos ambientais de suas atividades.

Casas de madeira pelo mundo

O mercado das casas de madeira tem crescido cada vez mais na Europa. Países como Áustria, França e Noruega investem anualmente em obras desse tipo, trazendo visibilidade para a indústria da construção de madeira maciça. Só na França, em 2020, o governo instaurou uma lei de sustentabilidade que obriga que os novos prédios públicos tenham pelo menos 50% de madeira em sua estrutura.

Há desvantagens?

Existem dois pontos importantes que precisam ser avaliados ao construir utilizando madeira. Após o período de uso de uma casa de madeira, não se sabe exatamente como descartar os materiais usados em sua estrutura. Além disso, o carbono armazenado dentro da madeira maciça volta ao meio ambiente durante o processo de decomposição.  

Brasil de madeira

Engana-se quem acha que essa tecnologia está longe de chegar no Brasil. No início de 2021 foi inaugurado no país o primeiro edifício de madeira laminada cruzada. O projeto foi realizado na Avenida Faria Lima na capital de São Paulo, e sedia a loja da marca de chocolates Dengo. O prédio conta com quatro pavimentos e cerca de 1.500 metros quadrados, e também é o primeiro passo do país para o futuro das casas de madeira.