Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Carbono negro é um material particulado que contribui significativamente para o aquecimento global

Imagem de Zach Lucero no Unsplash

Carbono negro, também chamado de negro de fumo, é uma das formas mais puras do carvão em sua versão amorfa, sendo constituída por partículas muito finas. Para se ter uma ideia, o cabelo humano mede 100 mícrons de diâmetro, enquanto o carbono negro é formado por partículas com menos de um mícron de diâmetro. Ele é obtido pela combustão parcial de compostos orgânicos, principalmente a partir do metano ou do acetileno.

Dessa forma, ele é uma versão impura de carbono, que pode ser produzida durante a combustão incompleta de combustíveis fósseis, madeira (formando fuligem) ou de biomassa. Ele está presente em aerossóis, sedimentos e solos.

Mas ele é muito diferente do dióxido de carbono. Enquanto este último permanece no ar por centenas de anos, o carbono negro vive por apenas algumas semanas na atmosfera.

Impactos ambientais

A fumaça negra dos motores movidos a diesel é mais perigosa do que se imaginava. Assim como acontece em incêndios florestais, a fumaça preta consequente da queima incompleta de combustíveis fósseis contém “carbono negro”, uma forma extremamente tóxica e poluente. O carbono negro é um tipo de material particulado.

Em pesquisa realizada por 31 especialistas sobre o assunto, e publicada no Journal of Geophysical Research: Atmospheres, o carbono negro é apontado como o segundo agente que mais contribui com o aquecimento global. Seu efeito equivale a dois terços do dano causado pelo gás carbônico (CO2), o que a torna mais perigosa que o gás metano.

A principal fonte de carbono negro no mundo são as queimadas em florestas, savanas e plantações. Mas essas não são as únicas.

Em países africanos e asiáticos a principal fonte é a queima de lenha para o aquecimento doméstico, enquanto na China e em alguns países do leste europeu a queima de carvão nas indústrias contribui com as emissões de carbono negro.

Nas Américas do Sul e Norte, e no restante da Europa, os motores movidos a diesel representam 70% das emissões de carbono negro.

De acordo com estudo publicado na revista Phys, o carbono negro também parece afetar a precipitação e, curiosamente, resfriar a atmosfera. Nuvens com aerossóis poluentes contêm mais gotas de água e parecem mais brilhantes. Isso reflete a luz, resfriando a atmosfera.

Apesar de ser tóxico quando liberado na natureza, o carbono negro tem usos comerciais. Os principais usos da na indústria são para a fabricação de graxa, pneus, nanquim, tintas de impressora, entre outros.

O carbono negro contribui com o aquecimento global de forma semelhante a de outros poluentes, seja absorvendo o calor solar ou promovendo a formação de nuvens que diminuem a superfície refletora das geleiras, o que faz com que o seu derretimento ocorra mais rapidamente.

Em estudo publicado no site do Earth Observatory da NASA, pesquisadores descrevem as regiões com maior concentração de carbono negro no mundo. A China e grande parte da África, são as com maior concentração de carbono negro.

O problema dos combustíveis fósseis

O controle e redução da emissão desse tipo de poluente é tão importante quanto complexa. No Brasil, algumas iniciativas já começaram a ser tomadas. Desde 2012, o diesel S-50, que é menos poluente, está à disposição em diversos postos de gasolina do país. Veículos movidos a diesel poluem sete vezes mais o meio ambiente e são mais nocivos à saúde.

Além disso, de acordo com a Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC), a poluição causada pela queima do diesel é considerada carcinogênica, estando ligada aos cânceres de pulmão e bexiga.

Como evitar

O carbono negro é um poluente que age na atmosfera apenas a curto prazo. Isso acontece pelo fato de ser formado por partículas grandes e pesadas que, com o passar do tempo, descem ao solo. Por isso, o controle sobre esse tipo de substância é importante.

Evite automóveis movidos a diesel e tome os cuidados necessários na prevenção de incêndios florestais, evitando atitudes como soltar balões e fazer fogueiras em locais próximos a florestas. Não jogue bitucas de cigarro em lugares arborizados ou beiras de estrada e sempre dê preferência ao transporte público movido à energias renováveis, como o metrô e o trem.


Veja também: