O que são proteínas e seus benefícios

eCycle

As proteínas são essenciais para o funcionamento do organismo. Entenda:

proteínas
Imagem editada e redimensionada de Kien Cuong Bui, está disponível no Unsplash

As proteínas são aminoácidos que se juntam para formar cadeias longas. Existem 20 aminoácidos que ajudam a formar milhares de proteínas diferentes no organismo e eles exercem nove principais funções no organismo:

1. Crescimento e manutenção

O organismo precisa das proteínas para o crescimento e manutenção dos tecidos. No entanto, elas estão em constante estado de rotatividade. Em circunstâncias normais, o corpo decompõe a mesma quantidade de proteína usada para construir e reparar os tecidos. Outras vezes, decompõe mais proteína do que pode criar, aumentando assim a demanda. Isso geralmente ocorre em períodos de doença, durante a gravidez e durante a amamentação, recuperação de de uma lesão ou cirurgia, velhice e durante a prática de esportes (confira aqui estudos a respeito: 1, 2, 3, 4, 5, 6).

2. Reações bioquímicas

As enzimas são proteínas que auxiliam milhares de reações bioquímicas que ocorrem dentro e fora das células (confira aqui estudo a respeito: 7). A estrutura das enzimas permite que elas se combinem com outras moléculas dentro da célula chamadas substratos, que catalisam reações essenciais para o metabolismo (confira aqui estudo a respeito: 8).

As enzimas também podem funcionar fora da célula, como as enzimas digestivas lactase e sacarase, que ajudam a digerir o açúcar. Algumas enzimas requerem outras moléculas, como vitaminas ou minerais, para que uma reação ocorra.

As funções que dependem de enzimas incluem:

  • Digestão
  • Produção de energia
  • Coagulação sanguínea
  • Contração muscular

A falta ou função inadequada dessas enzimas pode causar doenças (confira aqui estudo a respeito: 10)

3. Atuam como um mensageiro

Algumas proteínas são hormônios, que são mensageiros químicos que ajudam na comunicação entre as células, tecidos e órgãos. Elas são produzidas e secretadas por tecidos ou glândulas endócrinas e depois transportadas no sangue para os tecidos ou órgãos alvo, onde se ligam aos receptores de outras proteínas na superfície celular.

Os hormônios podem ser agrupados em três categorias principais (confira aqui estudo a respeito: 11):

  • Proteínas e peptídeos: são feitos de cadeias de aminoácidos, variando de algumas a várias centenas;
  • Esteroides: são feitos a partir do colesterol gordo. Os hormônios sexuais, testosterona e estrogênio, são baseados em esteroides;
  • Aminas: são produzidas a partir dos aminoácidos individuais triptofano ou tirosina, que ajudam a produzir hormônios relacionados ao sono e ao metabolismo.

Proteínas e polipeptídeos compõem a maioria dos hormônios do seu corpo. Alguns exemplos incluem:

  • Insulina: sinaliza a captação de glicose ou açúcar na célula;
  • Glucagon: Sinaliza a quebra da glicose armazenada no fígado;
  • hGH (hormônio do crescimento humano): estimula o crescimento de vários tecidos, incluindo ossos;
  • ADH (hormônio antidiurético): sinaliza os rins para reabsorver a água;
  • ACTH (hormônio adrenocorticotrópico): estimula a liberação de cortisol, um fator chave no metabolismo.

4. Fornecem estrutura

Algumas proteínas são fibrosas e fornecem rigidez às células e tecidos. Essas proteínas incluem queratina, colágeno e elastina, que ajudam a formar a estrutura conectiva de certas estruturas do corpo (confira aqui estudo a respeito: 13). A queratina é uma proteína estrutural encontrada na pele, cabelos e unhas.

O colágeno é a proteína mais abundante no corpo e dá estrutura aos ossos, tendões, ligamentos e pele (confira aqui estudo a respeito:14).

A elastina é várias centenas de vezes mais flexível que o colágeno. Sua alta elasticidade permite que muitos tecidos em seu corpo retornem à sua forma original após o alongamento ou a contração, como útero, pulmões e artérias (confira aqui estudo a respeito:15).

5. Mantém o pH adequado

As proteínas desempenham um papel vital na regulação das concentrações de ácidos e bases no sangue e em outros fluidos corporais (confira aqui estudos a respeito: 16, 17).

O equilíbrio entre ácidos e bases é medido usando a escala de pH. Varia de 0 a 14, sendo 0 o mais ácido, 7 neutro e 14 o mais alcalino.

Exemplos do valor do pH de substâncias comuns incluem (confira aqui estudo a respeito: 18):

  • pH 2: ácido estomacal
  • pH 4: suco de tomate
  • pH 5: café preto
  • pH 7,4: sangue humano
  • pH 10: leite de magnésia
  • pH 12: água com sabão

Uma variedade de sistemas de tamponamento permite que os fluidos corporais mantenham faixas de pH normais. É necessário um pH constante, pois mesmo uma ligeira alteração pode ser prejudicial ou potencialmente mortal (confira aqui estudos a respeito: 19, 20).

Uma maneira do organismo regular o pH é por meio da atuação da proteínas. Um exemplo é a hemoglobina, uma proteína que compõe os glóbulos vermelhos.

A hemoglobina liga pequenas quantidades de ácido, ajudando a manter o valor normal do pH do sangue. Os outros sistemas tampão do corpo incluem fosfato e bicarbonato (confira aqui estudo a respeito: 16).

6. Equilibram fluidos

As proteínas regulam os processos do corpo para manter o equilíbrio dos fluidos corporais. A albumina e a globulina são proteínas presentes no sangue que ajudam a manter o equilíbrio de fluidos, atraindo e retendo água (confira aqui estudos a respeito: 21, 22).

Se você não ingerir proteína suficiente, seus níveis de albumina e globulina acabam diminuindo. Consequentemente, essas proteínas não conseguem mais manter o sangue nos vasos sanguíneos e o líquido é forçado a entrar nos espaços entre as células.

À medida que o líquido continua a se acumular nos espaços entre as células, ocorre inchaço ou edema, principalmente na região do estômago (confira aqui estudo a respeito: 23). Essa é uma forma de desnutrição proteica grave chamada kwashiorkor que se desenvolve quando uma pessoa consome calorias suficientes, mas não consome proteínas suficientes (confira aqui estudo a respeito: 24). A Kwashiorkor é rara em países desenvolvidos e ocorre com mais frequência em áreas pobres.

7. Reforçam a saúde imunológica

As proteínas ajudam a formar imunoglobulinas, ou anticorpos, para combater a infecção (confira aqui estudos a respeito: 25, 26). Os anticorpos são proteínas presentes na corrente sanguínea que ajudam a proteger o organismo de invasores nocivos, como bactérias e vírus.

Quando esses invasores entram nas células, o corpo produz anticorpos que os marcam para eliminação (confira aqui estudo a respeito: 27). Sem esses anticorpos, bactérias e vírus estariam livres para multiplicar e sobrecarregar o organismo com a doença que causam.

Depois de gerar anticorpos contra uma bactéria ou vírus específico, as células nunca esquecem como produzi-los. Isso permite que os anticorpos respondam rapidamente na próxima vez que um agente específico da doença invadir o corpo (confira aqui estudo a respeito: 28). Como resultado, o organismo desenvolve imunidade contra as doenças às quais já foi exposto (confira aqui estudo a respeito: 29).

8. Transportam e armazenam nutrientes

As proteínas de transporte carregam substâncias por toda a corrente sanguínea - para dentro das células, fora ou dentro delas.

As substâncias transportadas por essas proteínas incluem nutrientes como vitaminas ou minerais, açúcar, colesterol e oxigênio (confira aqui estudos a respeito: 30, 31, 32).

A hemoglobina, por exemplo, é uma proteína que transporta oxigênio dos pulmões para os tecidos do corpo. Os transportadores de glicose (GLUT) movem a glicose para as células, enquanto as lipoproteínas transportam colesterol e outras gorduras no sangue.

Os transportadores de proteínas são específicos, o que significa que só se ligam a substâncias específicas. Em outras palavras, um transportador de proteínas que move glicose não move o colesterol (confira aqui estudos a respeito: 33, 34).

As proteínas também têm funções de armazenamento. A ferritina é uma proteína de armazenamento que armazena ferro (confira aqui estudo a respeito: 35). Outra proteína de armazenamento é a caseína, que é a principal proteína do leite que ajuda o bebê a se desenvolver.

9. Fornecem energia

As proteínas podem fornecer energia. Elas contém quatro calorias por grama, a mesma quantidade de energia que os carboidratos fornecem. As gorduras fornecem mais energia, com nove calorias por grama.

No entanto, a última coisa que o organismo deseja usar para obter energia é a proteína, pois esse nutriente valioso é amplamente utilizado em todo o corpo.

Carboidratos e gorduras são muito mais adequados para fornecer energia, pois o corpo mantém reservas para uso como combustível. Além disso, eles são metabolizados de forma mais eficiente em comparação à proteína (confira aqui estudo a respeito: 36)

De fato, a proteína fornece muito pouco das necessidades energéticas em circunstâncias normais. No entanto, em um estado de jejum (18 a 48 horas sem ingestão de alimentos), organismo destrói músculos para que os aminoácidos possam fornecer energia (confira aqui estudos a respeito: 37, 38).

O corpo também usa aminoácidos dos músculos se o armazenamento de carboidratos estiver baixo. Isso pode ocorrer após exercícios exaustivos ou se você não consumir calorias suficientes em geral (confira aqui estudo a respeito: 39). Para conhecer alimentos ricos em proteína, dê uma olhada na matéria: "Dez alimentos ricos em proteínas".


Fonte: Gavin Van de Walle, PUbMed e Wikipedia

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail