O que é bolor e por que ele é perigoso?

eCycle

Exposição ao bolor pode ser fatal. Entenda o que é e saiba como se prevenir

Bolor
Imagem editada e redimensionada de Annie Spratt, está disponível no Unsplash

O bolor, também conhecido como mofo, é um termo que se refere a várias espécies de fungos, que normalmente apresentam uma cor preta ou verde. A espécie mais comum é a Stachybotrys chartarum, e costuma surgir em locais quentes e úmidos, como banheiros, cozinhas, privadas, pias, chuveiros, porões e banheiras. Mas o bolor também pode crescer em alimentos, madeira, terra ou papel.

A maioria dos fungos presente no bolor são toxigênicos, o que significa que eles liberam toxinas que podem ser irritantes ou significativamente prejudiciais para algumas pessoas, causando até envenenamento. Chamadas de micotoxinas, essas substâncias químicas tóxicas são produzidas pelo fungo durante sua decomposição de alimentos, na forma de metabólitos secundários, não essenciais para sua manutenção primária, mas capazes de atingir outras espécies. Esses compostos conferem aos fungos uma vantagem competitiva sobre outros fungos e sobre bactérias presentes no ambiente. Quase todas são citotóxicas, resultando na ruptura de membranas celulares e outras estruturas, ou interferindo em processos vitais como síntese proteica e de RNA ou DNA.

Quais são os sintomas de envenenamento por bolor?

A micotoxicose, ou “envenenamento por bolor”, pode afetar o sistema respiratório superior com sintomas como os de resfriado ou gripe. Mas em pessoas com alergias ou asma eles podem ser fatais.

Os sintomas comuns de envenenamento por bolor apresentados por pessoas que não possuem alergia ou asma costumam ser:
  • Tosse
  • Chiado
  • Entupimento do nariz
  • Coceira ou olhos vermelhos
  • Comichão na pele
Se você tem alergia ou asma, pode ter formas mais graves desses sintomas ou ter outros sintomas graves, como:
  • Dores de cabeça
  • Exaustão
  • Tosse frequente, especialmente à noite
  • Sinusite
  • Reações alérgicas
  • Dor no peito
  • Febre
  • Dificuldade ao respirar
A exposição a longo prazo ao bolor, mesmo que não cause sintomas imediatos, também pode levar a:
  • Perda capilar
  • Ansiedade
  • Confusão ou perda de memória
  • Dormência nas mãos e pés
  • Dores de estômago
  • Sensibilidade à luz
  • Ganho de peso sem motivo
  • Cãibras musculares
A exposição ao bolor pode causar sintomas graves se você tiver alguma das seguintes condições:
  • Alergias sazonais ou crônicas
  • Alergia específica ao bolor
  • Asma
  • Fibrose cística
  • Sistema imunológico enfraquecido
  • Distúrbio pulmonar obstrutivo crônico (DPOC)
  • Distúrbios da imunodeficiência

A exposição ao bolor pode ser prejudicial para qualquer pessoa, mas especialmente para as crianças pequenas. Um estudo realizado com 36 espécies de fungos em 289 lares com bebês de oito meses descobriu que bebês e crianças expostas ao bolor podem ter mais probabilidade de desenvolver asma mais tarde na vida.

Como o envenenamento por bolor é diagnosticado?

O envenenamento por bolor nem sempre pode ser diagnosticado apenas por seus sintomas mais comuns. Pode ser necessária a realização de exames de sangue, testes de alergia e avaliações dos níveis de fungos presentes na casa.

Para diagnosticar o envenenamento por bolor ou alergias, o médico pode realizar:
  • Teste de sangue. Ele coleta uma amostra de sangue e a envia para um laboratório para testar a reação de certos anticorpos no sistema imunológico a diferentes espécies de fungos. Isso pode ajudar a diagnosticar tanto alergias a fungos quanto reações mais severas ao bolor que podem indicar intoxicação. Um exame de sangue também pode verificar se há biotoxinas no sangue por exposição ao bolor, o que também pode revelar envenenamento.
  • Teste de picada de pele. O médico aplica pequenas quantidades de bolor na pele do paciente usando uma agulha. Se a região apresentar erupções cutâneas ou urticária significa que a pessoa é alérgica.

Como a exposição ao bolor é tratada?

O tratamento para alergias a bolor e sintomas de exposição podem incluir:

  • Sprays ou lavagens nasais. Os corticosteroides nasais, como a fluticasona (Flonase), reduzem a inflamação das vias aéreas causada por alergias a fungos. Além disso, uma solução de água quente e destilada e solução salina pode ajudar a livrar as vias nasais de esporos de fungos e remover o congestionamento.
  • Os anti-histamínicos, como a cetirizina (Zyrtec) ou a loratadina (Claritin), reduzem a resposta do sistema imunológico, minimizando a inflamação das vias aéreas.
  • Descongestionantes, como a pseudoefedrina (Sudafed), ajudam a reduzir o inchaço devido a reações alérgicas.
  • Montelucaste (Singulair). Esta medicação oral reduz o muco nas vias respiratórias, o que reduz os sintomas tanto das alergias ao bolor como da asma.
  • Exposição regular. O médico pode recomendar injeções regulares com pequenas quantidades de alérgenos para aumentar a imunidade do corpo.

Identificando o bolor em casa

  1. Procure por manchas agrupadas, especialmente em ambientes quentes e úmidos. Preste atenção se você começa a tossir, espirrar ou apresenta chiado quando entra em casa - mesmo que você não veja o bolor, os esporos ou micotoxinas ainda podem causar sintomas.
  2. Procure por causas de crescimento de bolor, como vazamento, falta de ventilação, comida velha, papéis ou madeira.
  3. Resolva quaisquer problemas que causem o crescimento de fungos. Descarte qualquer coisa afetada por fungos ou que seja contribuinte para o crescimento deles.

Removendo o bolor de casa

Obtenha um purificador de ar com filtro Hepa (em inglês High Efficiency Particulate Arrestance), pois são capazes de reter esporos de fungos. Cubra-se com roupas de manga longa, máscara, luvas e botas e aplique nas regiões da casa afetada pelo bolor água sanitária ou um agente fungicida. Deixe essas áreas secarem e a água sanitária evaporar antes de retornar ao local e, com um spray contendo duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio diluído em copo de vinagre com dez gotas de três tipos diferentes de óleos essenciais com ação fungicida (pode ser óleo essencial de melaleuca, cravo e alecrim), espalhe a mistura nas regiões afetadas para aromatizar o local. Mas lembre-se: o bolor retornará se não forem removidas permanentemente as condições que predispõem o seu aparecimento, como infiltração, vazamento, falta de luminosidade e ventilação.

Como se prevenir

  • Limpe a casa regularmente;
  • Deixe as portas e janelas sempre abertas para ventilação, principalmente depois de sair do toma banho ou realizar outras tarefas que aumentem a umidade;
  • Use um desumidificador para manter a umidade relativa do ar (UR) abaixo de 50%;
  • Use um purificador de ar interno com filtragem de ar particulado de alta eficiência (Hepa) ou instale um filtro apropriado de alta eficiência em seu sistema de ventilação;
  • Certifique-se de que suas calhas estão limpas e não estão bloqueando a drenagem de água;
  • Não deixe livros velhos, jornais ou madeira sem uso por longos períodos;
  • Não coloque tapetes em banheiros, cozinhas e porões;
  • Não ignore vazamentos de canos ou lençóis freáticos - conserte-os o mais rápido possível;
  • Evite consumir alimentos que ficaram muito tempo na geladeira, prefira alimentos frescos.

Pessoas com asma, alergias ou condições do sistema imunológico são especialmente vulneráveis ​​ao bolor. Mas não é difícil evitar o seu crescimento excessivo, mantendo a umidade interna baixa e o espaço limpo.

Fique atento a pequenos pontos de bolor tome uma atitude rapidamente antes que o crescimento saia de controle.

Se você acha que sua saúde está sendo afetada pela exposição ao bolor, procure ajuda médica, fale com seu alergista.


Adaptado de Healthline , PubMed e Wikipedia

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail