Saiba como equilibrar a relação carbono nitrogênio na compostagem

Serragem (foto) pode ser muito importante quando a relação estiver baixa

A relação carbono nitrogênio na composteira é a proporção de carbono contida em cada material em relação ao nitrogênio. Esses dois elementos são muito importantes para os seres vivos, assim como para os organismos contidos nas composteiras, que degradam a matéria orgânica. Porém, em relações baixas ou altas desses elementos, a eficiência do processo irá diminuir.

Ao realizar a compostagem doméstica, uma das orientações que devemos seguir é a regulagem da relação carbono (C)/nitrogênio (N) para que um desiquilíbrio não afete o tempo de decomposição, os micro-organismos e as minhocas. Portanto equilibrar a quantidade de cada elemento é essencial para o bom funcionamento da sua composteira.

Qual a relação necessária para a compostagem?

Estudos apontam que o limite para a relação da compostagem varia entre 20/1 e 35/1, mas, de uma forma geral, a melhor é de 30/1 por ser a proporção em que os micro-organismos absorvem esses nutrientes. Isto significa que devem ser adicionados às composteiras materiais misturados que forneçam, mais ou menos, 30 partes de carbono para 1 parte de nitrogênio. Desse modo, a reprodução será mantida, assim como as funções metabólicas dos organismos, além da possibilidade de obtenção do composto final em menos tempo, evitando mau cheiro.

Durantes o processo, 20 partes do carbono são liberadas como dióxido de carbono e utilizadas pelos micro-organismos para obter energia. As outras 10 partes, junto com o nitrogênio, são absorvidas para a sua biomassa. Então, durante a compostagem, o resíduo entra com relação inicial de 30/1 e quando atinge a maturidade, transforma-se em produto ou vermicomposto com relação 10/1.

Conteúdos apropriados de nitrogênio e carbono favorecem o ambiente da composteira, proporcionando um composto melhor e sua produção em menos tempo.

Relação C/N baixa

Isso significa carência de carbono e excesso de nitrogênio. O nitrogênio poderá ser perdido como amoníaco, causando odores desagradáveis e prejudicando a qualidade do composto.

Alternativa

Materiais ricos em carbono fornecem energia para a compostagem e não deixarão a massa compactar, permitindo que as minhocas respirem. Basta acrescentar à composteira resíduos castanhos, geralmente secos, como:

  • Palha, capim picado;
  • Serragem não envernizada (contém muito C, use proporção 1/1);
  • Cascas de árvores;
  • Fenos;
  • Papel (sem tinta ou químicos);
  • Podas de jardim (folhas e galhos de árvores).

Relação C/N alta

Significa que há pouco nitrogênio e excesso de carbono. A falta de nitrogênio irá limitar o crescimento microbiano e o carbono não será todo degradado, isso fará que a temperatura não aumente - o processo levará mais tempo e o produto final apresentará baixos teores de matéria orgânica.

Alternativa

Materiais ricos em nitrogênio aceleram o trabalho dos organismos. Acrescente materiais verdes, geralmente mais úmidos, como:

Lembre-se que a proporção é um volume de três partes de materiais ricos em carbono para uma parte de materiais ricos em nitrogênio. Conforme for observada a necessidade, como mau cheiro, queda de produção, mortalidade de minhocas e/ou pouca matéria orgânica, a proporção pode ter que ser alterada para 2/1 ou 1/1. Saiba na matéria "Você sabe o que deve e o que não deve ir para a composteira doméstica?" quais itens devem ser evitados na compostagem.

Se ainda não tem composteira na sua casa, confira a nossa loja virtual e acompanhe o nosso Guia de Compostagem para mais informações.


Veja também:


 

Comentários  

 
+2 #1 2014-09-12 14:56
Casca de amendoim também serve?
Citar
 
 
+3 #2 2014-09-20 00:46
Casca de amendoim também serve?
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail