Segundo estudos, mel se revela um bom antibacteriano natural

Pode até parecer mais uma das receitas das nossas avós, mas novos estudos apontam o grande poder antibacteriano do mel

Durante o 247º Encontro Nacional da American Chemical Society, promovido no último mês de março, nos EUA, a principal autora de um estudo que aponta o mel como um antibacteriano natural, Susan M. Meschwitz, apresentou os resultados de sua pesquisa. Ela relata que "a propriedade única do mel reside na sua capacidade de combater a infecção em vários níveis, tornando mais difícil a resistência das bactérias".

Meschwitz explica que o mel faz uso de uma combinação de "armas", incluindo peróxido de hidrogênio, a acidez, o efeito osmótico, alta concentração de açúcar e polifenóis, que matam ativamente células bacterianas. O efeito osmótico, que se deve à elevada concentração de açúcar no mel, extrai água das células bacterianas, causando assim uma desidratação e morte das bactérias.

Outros estudos, mostram que o mel também tem o poder de inibir a formação de comunidades de bactérias causadoras de doenças e o quorum sensing. Meschwitz disse que outra vantagem do mel é que ele não atua nos processos mais essenciais do crescimento das  bactérias - justamente o que fazem os antibióticos convencionais. Assim, em vez de facilitar o desenvolvimento de gerações futuras de bactérias resistentes ao remédio, ele as elimina e não fortalece culturas resistentes.

História

O mel é um dos alimentos mais conhecidos pela a humanidade e não é de hoje. Há evidências de que ele era utilizado há centenas e centenas de anos, estando presente em pinturas e manuscritos do antigo Egito, da Grécia e de Roma. Mas ele não se limitou a ser um mero adoçante, já que é um forte aliado na nutrição humana - o mel é um alimento rico em energia e que contém inúmeras substâncias benéficas ao organismo. Com o avanço da ciência, suas propriedades terapêuticas foram descobertas, o que fez o mel bastante popular como "remédio caseiro" (confira aqui remédios caseiros contra dor de garganta, queimaduras de sol e outros remédios naturais para doenças comuns). 

Por que o mel é pode ajudar?

O mel é eficaz porque está cheio de polifenóis saudáveis, mais popularmente conhecidos como antioxidantes - eles contêm ácidos fenólicos, ácido cafeico, ácido p-cumárico e ácido elágico, bem como muitos flavonoides. Um grande número de estudos laboratoriais e clínicos têm confirmado as propriedades antibacterianas de amplo espectro, antifúngicas e antivirais de mel. Há estudos que testam a atividade de mel contra bactérias como a E. coli, Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa.

O uso do mel no combate de infecções ao invés de antibióticos

Por muitos anos a medicina convencional vem utilizando antibióticos no combate de infecções virais, o que acabou originando um problema, uma vez que antibióticos são eficazes apenas na quebra de infecções bacterianas. Esse consumo desnecessário e, muitas vezes, excessivo, pode fazer com que futuras infecções sejam de difícil combate, pois as bactérias que resistem à dose de antibiótico se proliferam rapidamente, criando novas gerações de bactérias sejam resistentes à medicação.

Mas vá com calma. Não é porque o mel tem todas essas propriedades que você vai deixar de tomar um antibiótico caso o médico faça a recomendação. Apenas confirme se o uso do medicamente é realmente necessário.

Veja também:
-Aprenda a fazer "remédios caseiros" para curar inflamação da garganta
-Beehive Urban: mel fresco na janela
-Como aliviar a ressaca de forma natural 


 

Comentários  

 
0 #1 2014-05-08 22:27
A ciência nem sempre avança. As vezes são redescobertos saber antigos. É o encontro dos saberes dito sábios com o saberes tradicionais. Muitos foram esquecidos...
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail