Qual é o melhor tipo de panela?

Conheça quais materiais fazem mal à saúde e como utilizar cada tipo de panela

Panela

Atualmente, existem tantas panelas, feitas de tantos materiais diferentes, que ficamos até confusos quando vamos comprar um jogo. Para ajudar com esse problema, a eCycle faz uma lista com os principais tipos de panela disponíveis no mercado e suas vantagens e desvantagens.

Alumínio

Panela de Alumínio

o modelo mais barato de panelas é também motivo de muita discussão. Pesquisadores da USP descobriram que panelas de alumínio e de aço inoxidável podem soltar metais pesados durante o preparo dos alimentos. Ao ferver uma solução de 4 litros de água e 10 gramas de sal por 3 horas, houve o desprendimento de 20 miligramas do metal por cada litro de água. Por outro lado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o metal é seguro nas suas aplicações culinárias. Panelas de alumínio podem ser recicladas;

Inox

Panela de Inox

A principal vantagem é o fato de as panelas não oxidarem. Além disso, o material é resistente e distribui o calor de forma igual por sua superfície. Seu problema principal está no fato de sua composição levar níquel, que é extremamente tóxico, e que se desprende da panela ao longo do uso. Mesmo as quantidades liberadas do metal sendo pequenas, assim como no caso das panelas de alumínio, ainda não há um consenso entre pesquisadores sobre o nível de toxicidade das panelas feitas com esses materiais. Mas estudos apontam que seu uso não é indicado a pessoas alérgicas. Exposição ao níquel e seus compostos pode causar alergias e levar ao desenvolvimento de câncer;

Cobre

Panela de cobre

Assim como as inoxidáveis, as panelas de cobre são boas condutoras de calor. Mas não podem ser utilizadas para cozinhar todo tipo de alimento. Ao entrar em contato com o sal ou alimentos ácidos como tomate, limão e vinagre, o cobre pode se desprender da panela. Fique atento sobre que tipo de comida é feita nesse tipo de panela. A intoxicação por cobre pode causar náusea, dores abdominais, problemas gastrointestinais e, em longo prazo, danos aos rins e ao fígado. A vantagem é que pode ser reciclada;

Ferro

Panela de ferro

A utilização desse tipo de panela traz alguns benefícios à saúde. Em pesquisa realizada na Unicamp, foi provada a transferência do mineral presente na superfície das panelas de ferro e de pedra-sabão para os alimentos, transformando-as em importantes aliadas no combate à anemia. O mesmo foi constatado para as panelas de aço inox.  Mas tenha cuidado com a manutenção. Ela pode enferrujar facilmente e, se esfregada, a ferrugem pode se soltar. Lave-a com água quente e sabão, deixe secar no fogo e espalhe uma película de óleo sobre sua superfície antes de guardar, para evitar a ferrugem. Também podem ser recicladas;

Antiaderentes

Panela antiaderentes

Esse é o mais controverso tipo de panela disponível no mercado. Em sua composição estão o ácido perfluorooctanóico (PFOA) e o politetrafluoretileno (PTFE), ambos extremamente problemáticos. O PTFE, quando exposto a altas temperaturas, libera gases tóxicos, como os fluorocarbonos, que causa sintomas similares aos da gripe. Já o PFOA, segundo estudos, está ligado ao desenvolvimento de câncer de rim e fígado, problemas da tireoide, problemas no coração e muitas outras complicações. Os compostos presentes nas panelas antiaderentes também são notórios obesogênicos (saiba mais na nossa matéria especial sobre o assunto). Se sua panela antiaderente estiver riscada ou se sua superfície estiver se desprendendo, descarte-a imediatamente;

Cerâmica

Panela de cerâmica

Apesar de serem um pouco mais caras que as outras panelas, o investimento vale a pena, já que são fáceis de limpar, antiaderentes e conservadoras de calor. Mas atenção para uma certificação que aponte para a utilização de materiais atóxicos na fabricação. Pesquisas realizadas em Israel afirmam que a tinta presente em panelas não certificadas pode conter chumbo ou cádmio, que se desprendem durante o preparo dos alimentos. Além disso, demora mais tempo que o normal para esquentar, o que faz com que o consumo de energia aumente;

Barro

Panela de barro

Iindicada para fazer alimentos líquidos ou com caldo, como sopas, molhos, feijão e ensopados. Assim como a panela de cerâmica, demora para esquentar, mas mantém o calor por um longo período de tempo. Alimentos com baixo teor de água podem ficar ressecados se preparados nessa panela;

Pedra-sabão

Panela de pedra-sabão

Indicada para o preparo dos mesmos tipos de alimentos que podem ser feitos na panela de barro. Por ser porosa, pede atenção especial ao ser lavada, para que não haja proliferação de microrganismos. Aqueça-a em fogo baixo, para que a panela não rache pelo choque térmico;

Vidro

Panela de vidro

Um dos modelos mais seguros para a saúde, a panela feita desse material não possui nenhum tipo de contraindicação. É fácil de limpar e não passa nenhum tipo de substância para os alimentos durante o preparo. Por outro lado, é cara, pesada, frágil e não pode ser reciclada por ser feita com vidro temperado;

Titânio

Panela de Titânio

Esse tipo de panela é mais recente e moderno e, por isso, mais cara. A nutricionista Késia Quintaes diz, em seu livro Por Dentro das Panelas, que as panelas de titânio não fazem mal à saúde, já que não há contaminação dos alimentos preparados nelas. Além disso, são mais resistentes. As panelas de titânio também podem ser usadas para guardar a comida depois de pronta. O titânio é usado pela indústria, inclusive, para revestir as panelas de cobre e evitar que esse elemento se misture à comida em seu interior. Elas não exigem a fervura que recomendamos nas panelas de aço inox, pois não há liberação de material na comida - afirma Késia.

Mas então, qual comprar?

Não há um tipo de panela perfeita. A ideia é manter em mente a funcionalidade de cada modelo para tirar máximo proveito dos seus jogos. No entanto, não adquira os modelos que contenham PFOA e PTFE (antiaderentes). As de alumínio também não são muito recomendáveis, devido à possibilidade de desprendimento do material nos alimentos.

Portanto, os modelos de vidro, de cerâmica são os que trazem menos risco à saúde humana, desde que obedeçam aos padrões estabelecidos para esse tipo de equipamento. Ao adquirir essas panelas, tente conservá-las ao máximo, já que a reciclagem ainda não é possível para tais materiais.

Na sequência, os modelos de metal, de titânio, de cobre e de ferro podem ser boas opções, se utilizados de maneira correta. Fazer uma combinação de panelas, levando em conta cada uma de suas características, também pode ser uma solução. Uma mistura de panelas de cobre e de cerâmica ou barro para preparar alimentos ácidos mais salgados é uma possibilidade.

Quando precisar, visite nossa página de postos de reciclagem para encontrar os locais mais póximos de sua residência e descartar adequadamente suas panelas usadas ou os outros mais variados objetos que necessitem de destinação correta.


Veja também:


 

Comentários  

 
+3 #1 2014-01-10 13:55
Bom dia amigo
Uma duvida: Então para cozinhar alimentos e sopas seria melhor uma panela de vidro ou Titânio?
Citar
 
 
-4 #2 2014-02-07 03:33
Existe no mercado alguma marca de panela de inox que não seja tóxica? Qual seria o tempo de "vida não-tóxica" de uma panela de inox?
Citar
 
 
-5 #3 2014-05-30 19:00
estas panelas deicham cheiro de cigarro nas comidas e como eu devofazer para tirar esse cheiro.
Citar
 
 
+12 #4 2014-06-03 11:55
E quanto às panelas esmaltadas?
Citar
 
 
+28 #5 2014-08-29 16:06
Existe alguma diferença entre panela de cerâmica e panela de alumínio ou inox REVESTIDA de cerâmica? Vi algumas no site da wallmart,que informam que o produto não libera metais,que é atóxico, entretanto, fica a dúvida quanto a panela ser SOMENTE REVESTIDA de cerâmica?

Outra dúvida: panela de vidro. Onde encontrar? Não pode estourar durante o cozimento dos alimentos (feijão, arroz)? Neste vídeo, Dr. Lair Ribeiro diz que a melhor é a de cerâmica: https://www.youtube.com/watch?v=4iTRy4egOno
Citar
 
 
+19 #6 2014-09-22 13:07
Apesar de não citadas, as panelas de aço cirúrgico são as mais confiáveis. Tenho pesquisado à respeito e constatei que além do beneficio óbvio (zero contaminação), elas são de fato feitas de aço (e não só revestidas, como são as de titânio) e têm uma válvula se seguranca que impede desnaturacao de proteinas/enzimas, cozimento mais rápido e uniforme. Dá pra fritar sem óleo por causa da superficie super lisa. No começo é estressante porque a maneira de cozinhar muda um pouco. Mas logo você se adapta e joga fora as outras.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail