Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Queda de qualidade ocorreu devido à crise hídrica

Um relatório sobre a qualidade das águas dos rios usados para abastecimento público, feito pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), aponta que em 2014 houve queda na qualidade dos recursos hídricos do estado, em comparação aos últimos cinco anos.

De acordo com o documento, as categorias ótima, boa e regular sobre a qualidade dos rios somaram 79% em 2014, com redução de 5% em relação a 2013. O porcentual de rios com qualidade péssima subiu de 6% para 9% e, de qualidade ruim, de 10% para 12%. Do total de pontos monitorados, 82% apresentaram piora no índice.

Mortandade de peixes

Segundo a Cetesb, isso se deve à escassez hídrica do ano passado. “O ano de 2014 foi atípico para a qualidade ambiental. No período de estiagem, os corpos hídricos têm menos água para diluição de poluentes lançados e a atmosfera também fica prejudicada pela maior frequência de condições desfavoráveis à dispersão dos poluentes. A estiagem observada no final de 2013 e ao longo de todo o ano de 2014 trouxe consequências para o meio ambiente como um todo”, diz o relatório da Cetesb.

De um total de 315 pontos de medição instalados nos principais rios do estado, no ano passado, 90 apresentaram, segundo a Cetesb, a pior qualidade de água dos últimos seis anos. Metade deles foi classificada nas categorias péssimo e ruim. A piora, segundo o órgão, está relacionada à diminuição da capacidade de diluição dos rios não só em virtude da estiagem prolongada, mas também pelo crescimento de áreas urbanas sem tratamento de esgoto.

Entre os pontos que atingiram o nível péssimo está a Bacia do Rio Piracicaba, que forma o Sistema Cantareira, registrando, inclusive, episódios de mortandade de peixes em grande proporção, segundo a Cetesb.

Para conferir os relatórios, clique aqui.

Fonte e imagem: Agência Brasil

Veja também:
Crise hídrica em SP: quais fatores fizeram com que ela ocorresse?
ONU diz que crise hídrica deve ser resolvida com “hidro-diplomacia”