Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Ondas de calor extremo na Europa estão se tornando cada vez mais frequentes e intensas no contexto de mudanças climáticas

De acordo com dados publicados na revista Scientific American, ontem (19), o Reino Unido quebrou o recorde de calor três vezes em questão de horas. Ondas de calor extremo na Europa estão se tornando cada vez mais frequentes e intensas no contexto de mudanças climáticas.  

Na semana passada, milhares de portugueses, franceses e espanhóis foram evacuados de suas casas por causa do aumento dos focos de incêndios florestais. Conhecido por seu clima ameno, o Reino Unido chegou a medir temperaturas acima dos 40 graus Celsius. Na vila inglesa de Charlwood, os termômetros quebraram o recorde e marcaram 39 graus Celsius. Entretanto, poucas horas depois,  o aeroporto de Heathrow, em Londres, registrou 40,2 graus Celsius, quebrando o recorde pela segunda vez.

Mais tarde, as temperaturas atingiram o novo recorde no St. James’s Park, em Londres, e depois o quebraram novamente, registrando 40,3 graus Celsius. Os termômetros de Dublin, na Irlanda, chegaram a registrar o recorde de 33,6 graus Celsius.

A França, por sua vez, marcou os 42,2 graus Celsius, de acordo com o serviço meteorológico nacional francês.

Pesquisadores alertam para o fato de que as temperaturas globais estão atingindo os níveis de tolerância humana. Até mesmo pessoas saudáveis sentadas à sombra e com acesso à água podem morrer de calor. Embora tenhamos nos adaptado ao longo das centenas de milhares de anos a uma enorme variedade de climas – do calor árido do deserto do Saara ao frio gelado do Ártico, temos nossos limites. 

É necessário reduzir rapidamente as emissões de gases de efeito estufa e desenvolver políticas que ajudarão as populações vulneráveis ​​a se adaptarem ao contexto de mudanças do clima.

As altas temperaturas provocaram cancelamentos generalizados de trens em todo o Reino Unido. De modo semelhante, o clima prejudica o transporte ferroviário, pois as estruturas das ferrovias não são projetadas para o cenário de calor extremo e podem dobrar ou empenar quando as temperaturas sobem muito.

Voos foram suspensos no aeroporto de Luton, em Londres, na segunda-feira, depois que altas temperaturas danificaram uma pista, de acordo com a Scientific American.  Além disso, uma série de incêndios na grama e na vegetação surgiram ao redor de Londres e outras partes do sul do país, à medida que as temperaturas subiram.