Nonilfenóis e nonilfenóis etoxilados, presentes em muitos cosméticos e farmacêuticos, são potencialmente perigosos

eCycle

Entenda composição, usos, impactos e como evitar esses elementos

perigosos compostos

Apesar do nome pouco conhecido, os nonilfenóis e nonilfenóis etoxilados estão amplamente presentes em nosso dia a dia e podem oferecer graves riscos à saúde e ao meio ambiente.

Os nonilfenóis são compostos químicos orgânicos pertencentes à família dos alquilfenóis, obtidos industrialmente através do processo de alquilação do fenol com noneno. Basicamente, são formados por um ‘anel fenol’, em uma extremidade, ligado a uma cadeia carbônica.

Essas substâncias são consideradas tóxicas e foram classificadas como disruptores endócrinos.

São utilizados como produto intermediário na produção de resinas, plásticos, antioxidantes, e principalmente como base para a síntese do composto nonilfenol etoxilado. A produção do nonilfenol etoxilado ocorre através do processo de etoxilação, que, em termos práticos, é quando ocorre a reação entre o nonilfenol e o óxido de etileno. A composição química dos nonilfenóis etoxilados pode ser observada abaixo.

formula química NPE

Uma vez sintetizados, os nonilfenóis etoxilados funcionam como eficientes surfactantes, ou tensoativos não-iônicos, de baixo valor econômico. Vale ressaltar que os surfactantes atuam reduzindo a tensão superficial de um líquido, permitindo e facilitando a sua interação com outras substâncias.

A eficiência desses compostos gerados fica evidente quando analisamos mais atentamente a sua composição química. Os nonilfenóis etoxilados apresentam em suas moléculas uma extremidade solúvel em água (hidrofílica), referente ao anel fenol, e outra extremidade não solúvel em água (hidrofóbica), proveniente da cadeia de óxido de etileno.

Essa propriedade garante portanto a interação desses compostos tanto com substâncias polares (água) quanto com com substâncias apolares (óleos, graxas, e sujeira), podendo agir como eficientes agentes emulsificantes (“conciliador” entre compostos sem afinidades). Sendo muito usados como solubilizantes e para fins de limpeza.

Além disso, os nonilfenóis etoxilados variam de acordo com o grau de etoxilação: quanto maior a proporção dos óxidos de etileno na reação, maior a sua característica hidrofílica, alterando assim as suas propriedades, como a solubilidade e a detergência.

Estudos comprovaram que esses compostos possuem portanto uma natureza instável devido à grande possibilidade de variação do grau de etoxilação.

Onde são encontrados

Por causa do seu baixo custo relativo e da alta eficiência, os nonilfenóis etoxilados são produzidos em largas escalas globais e amplamente utilizados em diversos produtos e por múltiplos setores.

São empregados, principalmente, como detergentes, agentes emulsificantes, agentes umectantes, solubilizantes e desengraxantes. Desta forma, estes produtos químicos sintéticos estão presentes em todos os mercados e em nossas casas.

São encontrados em um grande número de produtos industriais, domésticos, agrícolas, de cosméticos e farmacêuticos. E, embora seu uso tenha alcançado proporções globais, os riscos relacionados a ele ainda não foram satisfatoriamente estudados.

mercado, produtos, surfactantes

Dentre as suas aplicações na área industrial, destacam-se as do setor de petróleo e do setor têxtil. Sendo utilizados principalmente como emulsificantes, dispersantes, umectantes, inibidores de corrosão, detergente para processos de purga e alvejamento, lavagem de materiais pós tingimento, dispersante de corantes, etc.

Como detergentes, são empregados tanto na área industrial como na doméstica. Podem ser encontrados em desengraxantes, compostos para lavagem a seco de tecidos, ceras líquidas, limpadores abrasivos, limpadores de prataria, limpa-vidros, detergentes para lavagem de roupas, amaciantes, etc.

É interessante ressaltar que os nonilfenóis etoxilados podem assumir outra nominação, dependendo de sua formulação e do produto em que são utilizados.

Segundo a nomenclatura internacional adotada para os ingredientes de cosméticos (INCI), quando presentes na composição de produtos destinados à exposição humana, os compostos nonilfenóis etoxilados também são chamados pelo nome de nonoxinol.

Na área farmacêutica, especificamente, o nonoxinol-9, é um espermicida amplamente conhecido e até hoje utilizado em diversos países. Foi um dos primeiros microbicidas conhecidos, lançado no mercado americano na década de 1960, com o objetivo inicial de contracepção. Até hoje são amplamente utilizados, pois representam produtos de baixo custo e de fácil acesso, porém seu uso é associado a diversos efeitos negativos, como a infertilidade.

No setor de cosméticos, essas substâncias funcionam especialmente como agente umectante e emulsificante para formulações cosméticas e de cuidados pessoais, podendo ser encontrados em xampus, condicionadores, tratamentos de coloração para os cabelos, produtos para limpeza corporal, produtos para o banho, aromatizantes de ambientes, etc,.

Impactos negativos ao ambiente e à saúde humana

toxico, mascara

A larga utilização dessas substâncias químicas pode acarretar sérios riscos à saúde humana e ao meio ambiente.

Uma vez comprovada a natureza instável dessas substâncias, é possível observar de que maneira compostos antropogênicos, relativamente inofensivos em determinados estados químicos, como no caso particular dos nonilfenóis etoxilados, podem ser transformados em substâncias tóxicas quando disseminados no ambiente.

Uma vez dispersos no ambiente, os nonilfenóis etoxilados são degradados, gerando o nonilfenol e alguns compostos etoxilados de cadeias mais curtas. Esses compostos degradados apresentam maior toxicidade do que seus precursores e foram identificados como disruptores endócrinos. Ou seja, substâncias que têm o poder de causar alterações no funcionamento do sistema endócrino de invertebrados e vertebrados.

As conseqüências destas disfunções podem ser graves, visto que os hormônios desempenham papel fundamental no controle do desenvolvimento das mais variadas espécies. Assim, há suspeita de que possam prejudicar a fertilidade, por exemplo.

Também foi constatado que o nonilfenol não é facilmente biodegradável e pode levar muito tempo para ser transformado na natureza, tendendo a permanecer em águas superficiais e em solos e sedimentos. Também já foi comprovado que a bioconcentração e bioacumulação de nonilfenóis são significativas em peixes e aves.

Portanto, devido à bioacumulação, a grande quantidade produzida e a dificuldade de degradação dos nonilfenóis (produto de degradação primária dos nonilfenóis etoxilados), é possível que estes possam ser transportados por distâncias significativas, e assim, ter um alcance global e potencializado em seus efeitos.

Além da capacidade de interferir e impactar o funcionamento do sistema hormonal de seres humanos e animais, estudos revelam que uma exposição a altos níveis de nonilfenóis etoxilados podem afetar prejudicialmente os humanos, causando irritação no sistema respiratório, sistema digestivo, pele e olhos. Mais estudos devem ser realizados com o objetivo de se conhecer os impactos da exposição de longo prazo a baixos níveis dessas substâncias.

Vias de contaminação humana

O uso desses compostos também põe em risco a segurança alimentar. Pesquisas comprovaram que algumas práticas, como a reutilização de águas residuais para irrigação em terras agrícolas e a utilização de nonilfenóis etoxilados na composição de pesticidas, podem levar à absorção desses compostos em plantas cultivadas e em ecossistemas aquáticos.

Além disso, o nonilfenol presente em recipientes de plástico e embalagens pode migrar para alimentos e água potável.

Desta forma, os seres humanos são expostos a essas substâncias, principalmente por via oral, através da ingestão de alimentos e água contaminados.

Outras vias de exposição ocorrem através da inalação de ar, contendo essas substâncias, ou pelo contato com produtos de higiene pessoal, detergentes, produtos de limpeza e espermicidas.

De acordo com estudos levantados, a substância nonilfenol já chegou a ser detectada no leite humano, no sangue e na urina.

No entanto, apesar dos altos riscos para o meio ambiente e para a saúde humana, a eficiência dos nonilfenóis em diferentes segmentos dificulta a identificação de substitutos alternativos.

O que fala a legislação

Quando começaram a ser utilizados, acreditava-se que o risco associado ao uso desses compostos seria baixo.

Entretanto, após análises laboratoriais, ficou comprovado que os produtos gerados a partir da degradação dos nonilfenóis etoxilados são mais tóxicos do que os produtos originais e, após a inclusão desses compostos na lista dos contaminantes emergentes de água, tornou-se evidente a necessidade dos estudos sobre a toxicidade dessas substâncias.

Frente a isso, algumas potências mundiais, como membros da União Européia e o Canadá, implementaram medidas de prevenção de poluentes destinadas a reduzir drasticamente a produção e o uso dos nonilfenóis e nonilfenóis etoxilados. Sendo uma das medidas a adoção dos álcoois etoxilados, compostos mais caros, porém menos nocivos à saúde e ao meio ambiente.

Outra medida foi a proibição de nonilfenóis e nonilfenóis etoxilados na composição de produtos de limpeza de algumas empresas da União Européia e dos Estados Unidos.

Porém, muitos países, incluindo o Brasil, ainda não tomaram medidas restritivas significativas para evitar ou reduzir os impactos associados ao uso desses produtos. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ainda oferece ampla permissão à presença de nonilfenóis etoxilados nas formulações de produtos destinados à limpeza.

O Conselho Nacional do Meio Ambiente, Conama, aprovou em 2005 a resolução 357, que trata da classificação dos corpos hídricos e estabelece padrões de qualidade de lançamento de efluentes. Porém, apesar da intenção de restringir o lançamento de substâncias nocivas em cursos hídricos, esse documento não estabelece valores máximos permitidos para o nonilfenol em água doce ou salgada, nem a concentração tolerada em efluentes industriais ou efluentes de estações de tratamento de esgoto.

Desta maneira, apesar do aumento de estudos científicos a respeito dos riscos atribuídos a esses compostos, e de mudanças positivas na legislação de alguns países desenvolvidos, o mesmo parece não estar acontecendo na maioria dos países subdesenvolvidos, revelando um lapso de comunicação entre esses diferentes setores e sociedades.

Com tantos indícios dos perigos dessas substâncias o seu uso e manejo deveriam exigir atenção e uma legislação especial no Brasil.

Alternativas

Qualquer produto químico causa algum tipo de impacto. O importante é sempre ponderar o uso e fazer escolhas conscientes.

A fim de evitar os efeitos adversos provocados pelos nonilfenóis e nonilfenóis etoxilados, a alternativa mais eficaz é evitar, dentro do possível, a utilização de produtos que contenham esses compostos. Ou, ao menos dar preferência a produtos que os apresentem em baixas concentrações.

Para saber se o ingrediente não é um dos principais componentes do produto, veja no rótulo se ele aparece nos últimos itens listados. Se um determinado composto consta logo no começo da lista de ingredientes, significa que ele é um dos principais componentes do produto.

Sugerimos que o leitor observe atentamente a composição e os ingredientes dos produtos consumidos, lendo seus rótulos e embalagens. Especialmente dos produtos de cosméticos e os destinados à limpeza doméstica.

De preferência aos produtos cosméticos naturais. No Brasil, os cosméticos naturais são certificados e seguem os padrões de qualidade do IBD Certificações e da Ecocert. Também procure conhecer e testar os produtos de limpeza ecológicos que existem no mercado. Dê sempre preferência aos produtos que apresentam selo de certificação.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail