Pesquisadores brasileiros desenvolvem método de reaproveitamento de pilhas para produzir grafeno

eCycle

Além de ajudar o meio ambiente, a tecnologia torna a obtenção do grafeno mais acessível

Pesquisadores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) desenvolveram uma tecnologia de produção barata de grafeno a partir da reciclagem de pilhas. O custo para a obtenção tradicional do material chega a ser de milhares de dólares, e isso por apenas alguns gramas do material químico em questão. O processo elaborado pelos estudiosos no Brasil pode confeccionar o óxido de grafeno por menos de R$ 10.

Os pesquisadores reutilizam o grafite presente nas pilhas, e, a partir dessa forma cristalina de carbono, produzem o óxido de grafeno. Assim, elementos que iriam poluir o ambiente são reutilizados. Outra vantagem é que o baixo custo de obtenção do óxido ajuda a tornar a pesquisa sobre as suas propriedades mais acessível. A Universidade paranaense patenteou a pesquisa.

O que é o grafeno?

O grafeno é um arranjo cristalino de átomos de carbono e é o material mais fino e resistente já testado em laboratórios. Estudos sobre as propriedades desse material renderam o prêmio Nobel de Física de 2010 para os cientistas Geim e Novoselov. O óxido de grafeno já é usado em diversas aplicações e produtos e há expectativas de que ele se torne ainda mais importante no futuro.

Há perspectivas mercadológicas em relação às potenciais aplicações desse sintético, principalmente no setor da indústria eletrônica. O material mostrou ser muito mais eficiente do que o silício nos testes em semicondutores, por exemplo.

Fonte: UEPG

Veja também:
-Onde descartar pilhas portáteis?
-Plásticos: como se dá a reciclagem e no que se transformam?
-A reciclagem de eletrônicos hoje
-Guia básico da reciclagem: saiba com reaproveitar e reciclar uma série de itens do dia a dia


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail