Pesquisadores desenvolvem “banco de esperma” para criar variedade mais resistente de abelha

eCycle

Ácaro é grande risco para insetos

O desaparecimento de abelhas é um problema recorrente. Os principais responsáveis pelo fato são a poluição urbana e os parasitas. Mas cientistas estão buscando uma maneira de garantir o futuro desses importantes insetos, tentando diminuir a ameaça dos parasitas.

Pesquisadores da Universidade do Estado de Washington estão desenvolvendo um “banco de esperma” de abelhas com o intuito de, através do cruzamento genético entre espécies, criar um inseto mais resistente, com capacidade própria de lutar contra os parasitas.

Atualmente, o principal vilão é o ácaro popularmente conhecido como varroa, que se alimenta das larvas das abelhas e transmite doenças como a varrose. De acordo com os pesquisadores, as varroas possuem a capacidade de exterminar uma colônia inteira de abelhas no período de dois anos.

Na apicultura, para realizar o controle desse tipo de praga, criadores utilizam compostos químicos para matar os ácaros. O principal problema é que esses compostos, apesar de serem seguros em curto prazo, acabam se acumulando dentro da colmeia ao longo do tempo.

Para o estudo, estão sendo utilizadas abelhas dos alpes italianos, das montanhas da Geórgia e dos próprios EUA.

Veja também:
-Colmeia urbana facilita a criação de abelhas em grandes cidades
-Projeto To-Bee quer trazer de volta as abelhas aos jardins das casas
-Pesticidas contra abelhas?


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail