Confira sete atitudes sustentáveis para adotar em 2019

eCycle

Mudanças nos hábitos alimentares é umas das formas individuais mais significativas de ter uma atitude sustentável, segundo a FAO

Folha
Imagem editada e redimensionada de Mert Guller, está disponível no Unsplash

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) reuniu cinco ações que você pode adotar para combater o aquecimento global e, consequentemente, ser mais sustentável. Entre as recomendações, está a redução do consumo de carne e a compra de alimentos de produtores locais. Mas como o Portal eCycle não poderia ficar de fora dessa, separamos mais duas atitudes sustentáveis para você aderir esse ano e ficar com a consciência em paz. Confira:

As variações e fenômenos climáticos extremos são umas das principais causas do aumento da fome no mundo, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Com o crescimento da população mundial, a produção de comida enfrenta o desafio de alimentar mais pessoas em meio a condições ambientais imprevisíveis.

Mas é possível combater as mudanças climáticas e garantir que todos tenham uma alimentação saudável, inclusive por meio de pequenas ações rotineiras. Confira as cinco dicas da FAO e participe da luta contra o aquecimento global:

1. Tenha uma dieta mais sustentável e diversificada

Comida
Cardápio com menos carne é mais sustentável, segundo a FAO. Foto: PEXELS (CC)/Ella Olsson

Uma vez por semana, tente comer uma refeição 100% vegetariana (contendo leguminosas como as lentilhas, os feijões, as ervilhas e grão de bico) no lugar de uma refeição à base de carne. São necessários mais recursos naturais para produzir carne, principalmente água. Milhões de acres de floresta tropical úmida também são derrubados e queimados para transformar as terras em pastos para o gado.

Diversificando a sua alimentação, você poderá descobrir cereais “ancestrais”, como a quinoa. Existem, por exemplo, mais de 200 variedades de quinoa, adaptadas a diferentes tipos de clima.

Essa recomendação é feita, inclusive, por pesquisadores renomados da Lancet. Entenda melhor o tema nas matérias: "Veganismo é a forma mais efetiva de salvar o planeta, afirmam lideranças científicas", "O que é confinamento animal?" e "Criação intensiva de animais para consumo de carne tem impactos no meio ambiente e na saúde do consumidor".

2. Reduza o desperdício de comida

Desperdício de alimentos
Desperdício de alimentos preocupa a FAO e o governo brasileiro. Foto: EBC

Por ano, um terço dos alimentos produzidos é desperdiçado. Isso quer dizer também que são desperdiçados os recursos — como água, mão de obra, transportes — usados na produção. Quando for ao mercado, compre apenas o que precisar, fazendo uma lista e estabelecendo as receitas e cardápios com antecedência, a fim de evitar as compras impulsivas.

Lembre-se que também é possível aproveitar as sobras e restos, que podem ser facilmente jogados fora, mas também podem servir de ingredientes para outras receitas ou ser congelados para consumo futuro.

Compre frutas e legumes “feios”, que são frequentemente desperdiçados porque não têm uma aparência perfeita. Não se deixe enganar: eles têm o mesmo gosto.

Confira algumas matérias que podem te ajudar com esse tema: "18 dicas para evitar desperdício de alimentos" e "Desperdício de alimentos: causas e prejuízos econômicos e ambientais".

3. Use menos água

Escovar os dentes
Escovar os dentes com a torneira fechada evita o desperdício de água. Foto: PEXELS (CC)/Moose Photos

A água é o elemento fundamental da vida e, sem ela, não é possível produzir comida. Os agricultores precisam aprender a utilizar menos água para o crescimento das suas culturas. Mas você também pode proteger os recursos hídricos do planeta reduzindo o desperdício alimentar. Quando você joga fora a sua comida, você desperdiça a água necessária para a sua produção, principalmente se ela for de origem animal. Você sabia que são necessários 50 litros de água para produzir uma laranja, 7,5 mil litros par produzir um par de sapatos de couro e 1,8 mil litros para produzir uma calça jeans? Reduzir o consumo, de modo geral, ajuda a economizar água.

Confira algumas matérias que podem te ajudar: "Usos da água: tipos e fatores que influenciam demanda" e "Consumo consciente de água: uso correto evita desperdício".

4. Conserve os solos e a água

Alguns resíduos domésticos são potencialmente perigosos e não devem nunca ser jogados fora numa lixeira comum. São itens como pilhas, tintas, celulares, remédios, produtos químicos, fertilizantes, cartuchos. Eles podem infiltrar o solo e acabar em reservas de água, contaminando recursos naturais que possibilitam a produção de comida. Envie seus resíduos perigosos para postos de coleta.

Aterro sanitário
Aterro sanitário em Payson, no Arizona, Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/Alan Levine

Isso sem falar no plástico — estima-se que um terço do plástico produzido no mundo está no solo e que, até 2050, os oceanos terão mais plástico do que peixes. Reduza a utilização de plástico para manter os solos limpos. Confira algumas matérias que podem te ajudar: "Separação do lixo: como separar o lixo corretamente", "Como reduzir o lixo plástico no mundo? Confira dicas indispensáveis" e "Entenda o impacto ambiental do lixo plástico para a cadeia alimentar".

5. Apoie os produtores locais

A cambojana Thoeun faz a colheita do milho na sua propriedade rural, em Kampong Cham, Camboja.
A cambojana Thoeun faz a colheita do milho na sua propriedade rural, em Kampong Cham, Camboja. Foto: Banco Mundial/Chhor Sokunthea

Os agricultores são os mais duramente afetados pelas mudanças climáticas. Mais do que nunca, eles precisam de apoio. Comprando produtos locais, você ajuda os agricultores familiares e as pequenas empresas do lugar onde vive. Você também contribui para a luta contra a poluição, reduzindo as distâncias de frete percorridas por caminhões e outros veículos. Existe até um nome para quem é adepto dessa prática, são os chamados locávoros. Entenda melhor o tema na matéria: "Você sabe quem são os locávoros?". A segurança alimentar e as mudanças climáticas estão ligadas. As escolhas feitas hoje são vitais para um futuro alimentar mais seguro.

6. Além de evitar o desperdício de água, pratique o reúso!

água

Os problemas da escassez da água são enfrentados por países de todo o mundo em decorrência do desenvolvimento desordenado das cidades, da poluição dos recursos hídricos, do crescimento populacional e industrial, entre outros. Esse fatores geram um aumento na demanda pela água, provocando o esgotamento desse recurso. Duas opções para evitar o gasto excessivo desse recurso tão valioso são a água de reúso e o aproveitamento de água da chuva. Entenda esses dois conceitos e saiba como colocá-los em prática na matéria: "Água de reúso e aproveitamento de água da chuva: quais as diferenças?".

7. Recicle seu resíduo orgânico em casa!

Compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica, seja ela de origem urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal, e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico. Trata-se de um processo natural em que os micro-organismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica, transformando-a em húmus, um material muito rico em nutrientes e fértil. Esse processo de reciclagem reduz a emissão de gases do efeito estufa que seriam emitidos com a decomposição do lixo, além de reduzir a própria geração de resíduo (que é transformado em húmus). Conheça mais sobre esse processo na matéria: "O que é compostagem, para que serve e como fazer".

Composto

Fonte: ONU Brasil

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail