Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Alternativa de transporte prática e acessível, compartilhamento de bicicletas tem ganhado adeptos pelo mundo

O compartilhamento de bicicletas, criado em 1960 na Europa,  é um programa mundial que tem como objetivo o uso coletivo de bicicletas públicas. Ele passou por diversas mudanças, e atualmente faz parte da realidade de milhares de cidades em todo mundo. 

A ideia principal do compartilhamento de bicicletas é que esses meios de transporte estejam disponíveis nas ruas todos os dias. Desta forma, um indivíduo pode usar a bicicleta como meio de transporte ou lazer. É comum que cada cidade tenha seu próprio sistema de compartilhamento de bicicleta, que geralmente é de responsabilidade de uma empresa privada e/ou uma instituição pública.

Como funciona o compartilhamento de bicicletas

O programa de compartilhamento de bicicletas já teve diversas características distintas. Uma de suas primeiras versões, implantada em Amsterdã, era totalmente de graça. Depois dessa versão, surgiram as bicicletas de uso gratuito na primeira hora, e com cobrança de aluguel nas horas seguintes.

Atualmente, o sistema mais usado é o de cobrança no momento em que a bicicleta é alugada. O pagamento pode ser feito de duas maneiras diferentes. A primeira forma é pagando para usar a bicicleta por um curto período de tempo, de algumas horas ou alguns dias.

A segunda maneira é pagando uma mensalidade para usar a bicicleta diariamente. O pagamento do compartilhamento de bicicletas costuma ser feito por meio de aplicativos para celular. Basta baixar o app no celular e se cadastrar para conseguir uma assinatura. Mas é  preciso lembrar que cada programa de compartilhamento de bicicletas tem o seu aplicativo e suas regras específicas. 

Segurança do compartilhamento de bicicletas

Apesar de existir uma versão do compartilhamento de bicicletas em que elas são espalhadas pela cidade livremente, esse modelo caminha para o desuso pois facilita o  vandalismo e  furto das bicicletas.

Por isso, muitas empresas responsáveis por programas de compartilhamento de bicicletas priorizam modelos de estações fixas. Nesses locais, as bicicletas ficam presas a uma estação, e só são liberadas quando alguém as libera por meio do aplicativo. Esse destrave acontece assim que a pessoa paga o aluguel da bicicleta por uma hora – ou o tempo negociado com a empresa. 

Grande parte dos programas de compartilhamento de bicicletas estimula um período máximo de uma hora de uso do equipamento. Depois disso, ele precisa ser devolvido à estação. Em caso do consumidor desejar utilizar o equipamento por mais uma hora, ele precisa retornar a bicicleta e solicitá-la novamente.

As bicicletas usadas nesses programas não precisam necessariamente ser devolvidas para a mesma estação em que foram alugadas. Desde que a pessoa que está usando encontre uma estação com vagas, ela pode deixar o equipamento ali, mesmo que não seja o local encontrado de início. 

Multas do compartilhamento de bicicletas 

Caso a bicicleta não seja retornada, o usuário responsável por ela precisa pagar uma multa. Essa situação é diferente do furto que acontece enquanto ela ainda está bloqueada na estação. Nesta situação, o usuário aluga a bicicleta por um tempo e não a devolve. O valor da multa depende de empresa para empresa. 

Em caso de acidente ou danos causados ao equipamento, os aplicativos usados para o compartilhamento de bicicletas costumam contar com ouvidorias ou áreas específicas para denúncia.  

Benefícios do compartilhamento de bicicletas 

É econômico

Para uma pessoa sozinha, o uso do programa de compartilhamento de bicicletas é mais barato do que o aluguel de um carro. Se você pretende viajar para uma cidade que tem um sistema assim, opte por esse caminho. Afinal, além de econômico para o bolso, ele ajuda a evitar emissões de gases do efeito estufa

Não precisa de uma bicicleta própria 

Algumas pessoas não podem comprar bicicletas, seja pelo preço ou por não terem espaço em suas casas. Desta forma, o aluguel de bicicletas desses programas beneficia a sua movimentação na cidade. Estudantes e trabalhadores podem usar esses equipamentos para o seu transporte diário.

Mais saúdavel que dirigir um carro 

Quando um indivíduo pedala diariamente, ele está gerando diversos benefícios para a sua saúde. Andar de bicicleta queima calorias, cria músculos, e melhora o bem-estar. Usar o compartilhamento de bicicletas diariamente pode ser uma alternativa para idas até a academia. 

Ótima opção para que não anda muito de bicicleta

Se você não costuma pedalar com frequência, o compartilhamento de bicicletas ainda é benéfico para a sua rotina. Afinal, você não vai precisar gastar dinheiro com um equipamento que vai usar uma vez ou outra. Basta alugar a bicicleta pública quando for preciso e ir se aventurar pela cidade. 

Ótimo jeito de conhecer a cidade

Utilizar o compartilhamento de bicicletas em uma cidade que você está visitando pode ser uma boa maneira de conhecer o local. Afinal, é possível acessar diversos lugares com a bicicleta, o que é diferente do que acontece com o carro. A bicicleta dificilmente deixará o ciclista preso no trânsito.

Ajuda o meio ambiente 

O uso de transportes motorizados, como carros particulares e ônibus, tem impacto negativo no aquecimento global. Ao adotar o uso do compartilhamento de bicicletas, você está ajudando a diminuir a emissão de gases-estufa. Afinal, está trocando uma viagem de carro por uma de bicicleta. 

Mobilidade urbana ativa e o compartilhamento de bicicletas

Um estudo, realizado pela University of Illinois, mostrou que a presença de um programa de compartilhamento de bicicletas no campus da universidade diminui o uso de ônibus da região. A pesquisa também apontou que apesar do compartilhamento de bicicletas ser um meio de transporte sustentável e alternativo ao ônibus, ele ainda não consegue substituir totalmente o seu uso.

Isso porque existem diversos fatores, como chuva e distância, que fazem com que as pessoas façam seus trajetos usando tanto a bicicleta como o ônibus. Para que aconteça uma redução significativa no uso de transportes motorizados, com redução da pegada de carbono, é preciso melhorar a mobilidade ativa da região.

Isso significa que é preciso abrir espaço para meios de transporte que usam a energia humana como fonte de energia, como as bicicletas. Algumas maneiras de tornar segura a circulação de bicicletas pela cidade são:

  • Criação de ciclovias e ciclofaixas;
  • Aumento das calçadas;
  • Criação de leis de proteção ao ciclista;
  • Incentivo ao uso de bicicletas;
  • Aumento do tempo do semáforo;
  • Investindo em acessibilidade urbana.

Para entender um pouco mais sobre a importância da mobilidade ativa para o compartilhamento de bicicletas, confira “Mobilidade ativa: o que é e quais os benefícios?