Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Com participação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, portal Fitoterapia Brasil reúne informação técnico-científica para uso seguro das plantas medicinais

Pesquisadores brasileiros lançam o site Fitoterapia Brasil para levar informação de qualidade sobre o uso de plantas medicinais de forma racional, segura e eficaz. Voltado a trabalhadores envolvidos na cadeia de produção de fitoterápicos, o desenvolvimento do portal é fruto de uma parceria entre a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, Ministério da Saúde, Prefeitura Municipal de Jardinópolis, Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp) e a Farmácia da Natureza.

“A população utiliza a fitoterapia com grande frequência no Brasil, mas muitos profissionais de saúde prescrevem com uma noção equivocada de que o produto natural não causa efeitos colaterais. É muito importante que a população e os profissionais tenham informação correta sobre indicação, tempo de utilização, dosagem e efeito colateral que os fitoterápicos podem causar”, afirma o professor Fábio Carmona, da FMRP, que é o responsável pelo conteúdo clínico do portal.

Com informações de caráter técnico-científico e educativo, os conteúdos disponibilizados foram criteriosamente selecionados de documentos físicos e digitais da comunidade científica. Entre os objetivos dos pesquisadores está contribuir para o alcance dos objetivos e diretrizes sobre o uso de plantas medicinais e fitoterápicos estabelecidos no documento Política e Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Ministério da Saúde.

Dessa forma, o novo site possui um guia de A a Z com busca pelo nome científico ou popular das plantas, sendo que cada página, sobre cada espécie, tem informações gerais, descrição e um quadro completo com etnofarmacologia, ensaio pré-clínico, ensaio clínico, fórmulas oficiais, fórmulas farmácia viva, substâncias químicas, informações agronômicas e monografias. Além disso, possui conteúdos sobre legislação, controle de qualidade, farmácias vivas, conceitos, grupos de pesquisa e biodiversidade.

O guia é dirigido a todos os profissionais envolvidos no processo de produção de fitoterápicos, como: biólogos, agrônomos, médicos, enfermeiros, nutricionistas, farmacêuticos e comunidade científica. “Nós vivemos uma época em que as fake news são muito disseminadas e uma plataforma como essa é fundamental, pois tem conteúdo selecionado de alta qualidade científica para embasar a prática. E, assim, oferecer uma terapêutica mais segura e eficaz para a população brasileira”, finaliza o professor Carmona.