Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Estudo afirma que, sem investimentos, grandes capitais brasileiras podem ter problemas de abastecimento

Um estudo divulgado recentemente pela Agência Nacional de Águas (ANA) traz dados preocupantes sobre o recurso natural sem o qual não há vida na Terra. De acordo o “Atlas Brasil – Abastecimento Urbano de Água”, o crescimento da população e as condições ruins de infraestrutura de diversos municípios brasileiros farão com que a demanda seja maior que a oferta de água em 55% das cidades.

A agência afirma que é preciso haver uma grande quantidade de recursos investidos para que os problemas com água não se tornem realidade até 2015. O montante necessário beira os R$ 22 milhões. Cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília podem ser vítimas.

A previsão de déficit no abastecimento se deve à perspectiva de crescimento da população brasileira. Até 2025, a tendência é que o Brasil tenha 45 milhões de habitantes a mais. Atualmente, o país oferece 587 mil litros de água por segundo para uma demanda de 543 mil litros por segundo. É preciso aumentar a produção em cerca de 137 mil litros por segundo para suprir o uso individual e de indústrias.

Como contribuir?

Sabe-se que a agricultura é responsável por cerca de 70% do uso anual de água no mundo,  a indústria por cerca de 20% e o uso doméstico pelos 10% restantes. A contribuição do consumidor pode ser igualmente valiosa para além das fundamentais práticas de economia no dia a dia doméstico. Somos igualmente capazes de influenciar na redução do uso da água pela agricultura e pela indústria. Como? O consumo de alimentos orgânicos é um bom exemplo, pois evita a contaminação do solo e da água por agrotóxicos, além de garantir uma dieta mais nutritiva e livre de substâncias que podem nos causar danos à saúde.

Outra medida importante seria a redução no consumo de carne bovina, cujo rebanho quando criado em regime intensivo, tem nas rações animais (compostas de soja, milho ou cana) sua principal fronte protéica. Em se tratando da indústria, iniciativas focadas na racionalização do uso da água em seus processos produtivos têm sido cada vez mais freqüentes, cabendo a nós a opção por tais produtos. Quer outras dicas sobre o uso consciente da água? A eCycle te ajuda, clique aqui!