Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Localizado em São Paulo, córrego é um dos principais afluentes do rio Pinheiros

O extenso rio Pinheiros, localizado na cidade de São Paulo, é conhecido, infelizmente, por ser muito poluído. Mas a Associação Águas Claras do Rio Pinheiros tenta dar uma força para reverter o quadro. A entidade lançou uma campanha de financiamento coletivo para discutir a revitalização de um dos afluentes mais importantes do rio, o córrego Jaguaré.

Segundo a associação, para despoluir o rio é necessário cuidar de seus afluentes. Por isso, articulou uma ampla discussão com órgãos técnicos que resultou na elaboração de um programa de trabalho para a identificação do conjunto de medidas necessárias para a revitalização da bacia hidrográfica do córrego Jaguaré. Essa é uma área piloto, porque o projeto poderá ser replicado para cada uma das áreas que levam águas para o rio Pinheiros. A região do córrego do Jaguaré equivale a 10% da área total da bacia hidrográfica do próprio rio Pinheiros.

A associação espera arrecadar R$ 150 mil até o dia 23 de outubro. Caso o valor seja alcançado, o montante será aplicado na organização da discussão pública do projeto e na preparação de materiais de apoio para reuniões que serão realizadas com os moradores, com a Prefeitura e com as entidades sociais. Quem contribuir também recebe diferentes tipos de recompensas dependendo da quantia doada.

A Águas Claras do Rio Pinheiro já conseguiu um financiamento no valor de R$ 1,5 milhão do Fundo Estadual de Recursos Hídricos para o desenvolvimento das etapas técnicas importantes do processo. O valor pedido via crowdfunding, além de auxiliar na discussão e no acesso à informação, pode facilitar a inclusão de um novo item no projeto: a discussão de quanta área verde é necessária para garantir a qualidade ambiental e a proteção das águas.

Clique aqui e veja como contribuir.

Veja também:
Há 40 anos, poluição nos rios paulistanos já era alvo de debate. Problema persiste
Poluição prejudica um dos principais reservatórios de São Paulo