Carvão ativado: usos e cuidados

eCycle

O carvão ativado pode ser útil para filtrar água, desodorizar e remover substâncias tóxicas e radioativas

carvão ativadoImagem editada e redimensionada de Adrien Olichon, está disponível no Unsplash

O carvão ativado é um material obtido a partir da queima controlada de certos tipos de madeira. Podendo ser feito a partir de cascas de coco e restos de cortiça, o carvão ativado é um material muito poroso, com excelentes propriedades de filtração, desodorização e remoção de substâncias tóxicas e radioativas. Ele é muito utilizado na indústria química, alimentícia, farmacêutica, em sistemas de filtragem e purificação de água. Desde a antiguidade, tem sido usado para fins terapêuticos.

Usos do carvão ativado

O carvão ativado tem um uso terapêutico que remonta aos tempos dos antigos egípcios, gregos e índios americanos. Mas somente no século XIX é que foram expostos pela primeira vez os seus benefícios, quando o farmacêutico francês Gabriel Bertrand consumiu uma quantidade fatal de trióxido de arsênio (capaz de matar 150 pessoas) publicamente, e não demonstrou efeitos significativos. Isso porque ele havia adicionado à substância uma quantidade de carvão ativado.

Até hoje ele tem sido utilizado em casos de intoxicações, pois diminui a quantidade absorvível de substâncias tóxicas, com efeitos colaterais mínimos, eliminando-as pelas fezes. Entretanto, em casos de intoxicação de ácidos ou bases fortes, como ferro, lítio, arsênio, metanol, etanol ou etileno glicol, o carvão ativado pode ser ineficaz. Em um estudo controlado de intoxicação aguda por pesticidas e sementes de oleandro-amarelo (planta extremamente tóxica), a administração de carvão ativado não afetou a taxa de sobrevivência dos pacientes.

Em casos de envenenamento, o carvão ativado mostrou ser útil quando foi ingerido uma horas depois do ocorrido. A ingestão após duas horas depois do envenenamento não mostrou efeitos.

Mas, além de ser usado em alguns casos de intoxicação, o carvão ativado é muito empregado para eliminar maus odores de refrigeradores e para eliminar impurezas da água. Entretanto, por concentrar todas as impurezas em seus poros, ele deve ser substituído por um novo carvão ativado periodicamente.

Na formulação de produtos destinados à alimentação animal, o carvão ativado atua como adsorvente de toxinas, sendo classificado pela Instrução Normativa 13/2004 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento como aditivo tecnológico.

Carvão ativado para clarear os dentes

carvão ativado
Imagem editada e redimensionada de Chris Slupski, está disponível no Unsplash

O uso de carvão ativado para clarear os dentes é cada vez mais comum. Entretanto, sua eficácia para esse tipo de uso é contestada por especialistas da área de odontologia. Isso porque a aplicação do carvão ativado promove o desgaste do esmalte dentário de modo que aumenta a vulnerabilidade dos dentes.

Legislação brasileira

Na legislação brasileira, o carvão ativado é classificado como sólido inflamável de combustão espontânea, sendo considerado perigoso para o transporte. A lei define que é responsabilidade do transportador checar a viabilidade e segurança do transporte, bem como verificar as limitações para o modal escolhido, estabelecer sua classificação, utilizar embalagem certificada, com etiqueta de risco compatível para a classe e divisão do produto, documentar e armazenar em condições seguras.

Efeitos colaterais e segurança

O carvão ativado é seguro para a maioria dos adultos quando usado a curto prazo. Seus efeitos colaterais incluem constipação, diarreia e outros mais graves como desidratação e problemas pulmonares.

Durante a gravidez ele pode ser usado a curto prazo. Mas, se você estiver grávida ou amamentando, procure ajuda médica para melhor embasar sua decisão sobre tomar ou não a substância.

Interações

O carvão ativado pode interagir com xarope de ipeca e álcool. Nesse último caso, o álcool pode diminuir a ação do carvão ativado sobre a absorção de veneno.

De modo geral, medicamentos tomados por via oral podem ter sua absorção reduzida pelo carvão ativado. Para evitar essa interação, tome o carvão ativado pelo menos uma hora após tomar os medicamentos por via oral.

Dosagem

Adultos

Por via oral, em caso de overdose de drogas ou envenenamento, é indicado o consumo de 50 a 100 gramas de carvão ativado, seguido, depois de duas a quatro horas, pelo consumo de 12,5 gramas por hora. Às vezes, uma dose única de 25 a 100 gramas de carvão ativado pode ser o suficiente. A necessidade de repetição de doses deve ser avaliada por um médico.

Crianças

Por via oral, em caso de overdose de drogas ou envenenamento é indicado o consumo de dez a 25 gramas de carvão ativado para crianças de até um ano de idade. Para crianças de um a 12 anos de idade é recomendado o consumo de 25 a 50 gramas de carvão ativado. A necessidade de repetir a mesma dose deve ser avaliada por uma médica ou médico.



Veja também:

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail