Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O UNOPS, agência das Nações Unidas especializada em gestão de projetos, vai promover uma capacitação em agroecologia para pessoas em situação de rua na cidade de Florianópolis

Por Nações Unidas Brasil — A formação vai capacitar 20 pessoas até o fim de julho, em cinco oficinas, com aulas teóricas e práticas. O objetivo é que, ao final, seja estruturada uma horta comunitária no espaço urbano, com colheitas partilhadas entre as pessoas da comunidade e os participantes do projeto.

A ação, realizada em parceria com a Associação Rede com a Rua, Projeto Agro Rua – Horta Escola, foi viabilizada por meio de recursos destinados pelo Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina (MPT/SC).

preparo do terreno para o plantio
Legenda: Atividades incluem preparo do terreno para o plantioFoto: © Rede com a Rua/Divulgação

O UNOPS, agência das Nações Unidas especializada em gestão de projetos, vai promover uma capacitação em agroecologia para pessoas em situação de rua na cidade de Florianópolis. A ação, realizada em parceria com a Associação Rede com a Rua, Projeto Agro Rua – Horta Escola, foi viabilizada por meio de recursos destinados pelo Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina (MPT/SC) e vai capacitar 20 pessoas até o fim de julho.

A formação começou a ser desenvolvida na última segunda-feira (11), em cinco oficinas, com aulas teóricas e práticas. As pessoas participantes foram selecionadas pela Rede com a Rua e terão, além das atividades pedagógicas, acesso a apoio psicológico. O objetivo é que, ao final, seja estruturada uma horta comunitária no espaço urbano, promovendo atividades como plantio, compostagem e colheita. As colheitas serão partilhadas entre as pessoas da comunidade e os participantes do projeto.

“O oferecimento efetivo de oportunidades às pessoas em situação de rua é um dos caminhos para a retomada de uma vida digna”, defende o procurador Luciano Carlesso, do MPT de Santa Catarina. “Acreditamos que a capacitação para o trabalho em um ambiente amistoso e com foco no manuseio da terra pode representar, além do alcance da autonomia dessas pessoas, o resgate de sua autoestima, tão duramente degradada”, completa. A destinação dos recursos é oriunda da atuação do MPT na fiscalização da legislação trabalhista no estado.

Ao longo das cinco oficinas, serão ensinados conceitos gerais sobre agroecologia, técnicas de manejo do solo – incluindo o uso de biofertilizantes e a compostagem – e manejo de plantas – com a identificação de plantas medicinais e de Plantas Comestíveis Não Convencionais, conhecidas como PANCs. Outros módulos serão sobre controle de pragas e doenças e sobre soberania alimentar.

André Schafer, coordenador do Movimento em Defesa da População em Situação de Rua de Santa Catarina, um dos grupos integrantes da Rede Com a Rua, afirma que o projeto Agro Rua – Horta Escola é uma oportunidade de reinserção comunitária e de desenvolvimento de autonomia. “Isso se dará através da criação de vínculos, da sensação de pertencimento, do olhar mais próximo, que não julga de antemão, mas que escuta e acolhe, comportamentos sociais que promovem a mudança”, detalha. A organização já havia dado os passos iniciais para a formação que está sendo oferecida, identificando pessoas em situação de rua e em processo de transição rua/casa interessadas em participar da iniciativa. 

Para a diretora e representante do UNOPS no Brasil, Claudia Valenzuela, o projeto é uma ferramenta poderosa de emancipação. “Ao lado de nossos parceiros, conseguimos promover ações de impacto na agenda dos direitos humanos e, assim, concretizar uma gestão pública justa e equitativa, que fomenta o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, comenta.