Nespresso: café, cápsula, máquinas e sustentabilidade?

eCycle

Após transformar a forma de se beber café, com cápsulas e máquinas, Nespresso assume desafio de provar que seu modelo de negócios pode ter um impacto positivo

Reciclagem de cápsulas

O café espresso em cápsulas é uma opção prática e que tem crescido entre os consumidores brasileiros - em especial porque o café fica pronto na hora e pela possibilidade de preparar uma dose para consumo único. Se o modelo reduz o desperdício de café já pronto para beber, o volume de resíduos produzido é uma preocupação crescente do setor. Pensando em como amenizar o impacto ambiental causado por suas cápsulas de café, a Nespresso, ramo da empresa suíça Nestlé que comercializa café em cápsulas, investiu em seus próprios programas de reciclagem de cápsulas, buscando engajar o consumidor na solução ecologicamente correta para o descarte das cápsulas de café usadas.

Líder do setor no Brasil, a cápsula Nespresso é 100% feita de alumínio, material que é infinitamente reciclável e que preserva as propriedades do café dos efeitos da luz, do ar, do calor e de outros fatores externos o que contribui para a qualidade de seus produtos. Todas as cápsulas Nespresso são produzidas na Suíça, onde grãos de café cultivados em várias regiões do mundo ganham versão em cápsula. Cada cápsula tem um grama de alumínio e nove gramas de café, sendo que os dois elementos podem ser reciclados.

Reciclagem de cápsulas

No Brasil, a Nespresso conta com um centro de reciclagem em Barueri, na Grande São Paulo, e quem estiver interessado pode agendar uma visita ao local, onde ocorre a reciclagem das cápsulas Nespresso que chegam de todos os postos de coleta: lojas da marca, pontos de venda credenciados e cooperativas parceiras. Ali é feita a separação do pó de café e do alumínio das cápsulas por meio de um processo mecânico realizado ao longo de uma sequência de máquinas articuladas em um projeto desenvolvido pela própria empresa. O alumínio é revertido para a produção de novas cápsulas e enviado de volta para a Suíça, enquanto o café é enviado para compostagem, realizada por uma empresa especializada.

O processo de reciclagem, no entanto, depende do engajamento do consumidor para ser efetivo. A quantidade de alumínio presente em cada cápsula de café é muito pequena, de apenas 1g, o que faz com que o resíduo se torne um desafio econômico para a coleta seletiva tradicional - uma latinha de refrigerante ou cerveja, em comparação, tem em média 14 gramas de alumínio. Por isso, para garantir que as cápsulas Nespresso usadas sejam de fato recicladas, o consumidor precisa contribuir com a devolução de seus resíduos em um dos 54 postos de coleta disponibilizados pela Nespresso, algo que pode ser dar de forma muito simples, em proveito das visitas que faz às lojas para a aquisição de novos produtos.

Ou seja, basta que os resíduos sejam separados pelo consumidor da linha doméstica e, ao comparecer à loja para repor seu estoque de cápsulas, aproveitar para levar aquelas  usadas. Dos postos, as cápsulas são enviadas para o centro de reciclagem por meio da logística reversa da empresa. No entanto, a quantidade de cápsulas que retornam para reciclagem ainda é muito inferior ao número vendido. Além disso, 32% dos consumidores de cápsulas Nespresso não têm acesso a postos de reciclagem para devolução - reduzir essa porcentagem faz parte dos planos de sustentabilidade da empresa, que está em processo de ampliação do número de parcerias com cooperativas de reciclagem capazes de captar tais resíduos.

A Nespresso começou a comercializar a opção de café em cápsula no Brasil em 2006. A reciclagem, por sua vez, começou em 2011, ganhando força em 2016, quando foi criado o centro de reciclagem de Barueri. Foi então que o porcentual de aproveitamento das cápsulas usadas começou a melhorar, indo de 6% do total de cápsulas consumidas no país em 2016 para 13,3% em 2017. Nos primeiros meses de 2018 já foram recicladas 17,6% das cápsulas comercializadas no - em escala global, o volume de cápsulas recicladas alcança 24%, de acordo com o último Relatório de Sustentabilidade da Nespresso - The Positive Cup.

“Investimos para que a reciclagem aconteça em favor do meio ambiente, pensando em toda a cadeia. A Nespresso ajuda parceiros a destinar corretamente a matéria-prima, atuando de forma responsável com o meio e de acordo com cada país em que opera”, explica Claudia Leite, gerente de cafés e sustentabilidade da Nespresso no Brasil. “Buscamos transparência em nossas ações, medindo tudo que fazemos no processo de reciclagem. Queremos engajar o público e estimular que todo o mercado acompanhe essa mudança positiva sustentável”, completa.

Em todo o mundo, a Nespresso investe 25 milhões de francos suíços em reciclagem por ano. A empresa adota o uso de alumínio certificado e, sempre que possível, reciclado. Até o ano de 2020, a meta da companhia é que as cápsulas sejam produzidas apenas com alumínio reciclado - até lá a companhia também pretende contar com capacidade para receber e reciclar 100% das cápsulas Nespresso vendidas. A porcentagem atual é de 86%, em escala global - países como Suíça, Estados Unidos e Austrália já possuem capacidade de 100% de coleta; no Brasil a taxa gira em torno de 60%.

No que diz respeito às máquinas Nespresso, cada uma delas têm vida útil estimada de 9.000 doses (cerca de 10 anos de uso médio). A empresa se responsabiliza também pelo descarte correto das máquinas, caso não seja possível reparar o problema. Os mesmos postos de coleta das cápsulas recebem também máquinas Nespresso quebradas.

Mas, antes de decretar a morte da sua máquina de café espresso, consulte o 0800 da empresa. A Nespresso disponibiliza profissionais que, na maior parte dos casos, conseguem resolver o defeito com orientações por telefone. O serviço funciona 24h no Brasil.

Se isso não resolver, é feito um diagnóstico da máquina e seu encaminhamento para uma assistência técnica. Caso o conserto não seja possível, há ainda a possibilidade de trocar a máquina Nespresso defeituosa por outra remanufaturada. Com isso, a vida útil de uma máquina se estende a até 15 mil doses.

Mesmo com os esforços da companhia para amenizar o impacto gerado pelas cápsulas de café, a participação do consumidor é fundamental nesse processo. A Nespresso tem uma relação próxima com seus clientes, que via de regra adquirem as cápsulas acessando seu cadastro na loja. Além disso, cada consumidor recebe uma embalagem própria para o armazenamento e futuro transporte das cápsulas que serão consumidas. Assim, conforme for tomando café, é só guardar as cápsulas usadas na embalagem e, quando precisar repor seu estoque, aproveite a viagem para levar as cápsulas Nespresso usadas de volta à loja. Isso garantirá que elas sejam enviadas ao centro de reciclagem e seus materiais retornem ao ciclo produtivo.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail