Este toalete móvel pode reduzir significativamente os problemas de falta de saneamento

Uma organização está desenvolvendo um projeto de toalete móvel para que os danos causados pela falta de saneamento básico sejam reduzidos

SafiChoo

Atualmente 2,6 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso a saneamento básico. Isso representa a morte de mais de quatro mil crianças por dia, sem contar o estresse emocional causado pelas situações que, muitas vezes, as pessoas são obrigadas a passar para fazerem suas necessidades. É especialmente traumático para mulheres e meninas, que até abandonam as escolas quando menstruam por não terem as condições de higiene adequadas.

Foi pensando nisso que a organização Wish for WASH desenvolveu o SafiChoo, um toalete móvel para reduzir a contaminação em áreas onde não existe saneamento e evitar doenças causadas por falta de higiene. O toalete permite que a pessoa sente e se agache, dependendo da preferência.

Em algumas culturas é mais comum fazer as necessidades agachado do que sentado. O SafiChoo separa os dejetos de duas formas: a urina vai para a cavidade da frente onde é levada para o solo para servir como fertilizante. Já as fezes vão para a cavidade de trás, passando por um processo de filtração que separa os sólidos e patogênicos da água.

Essa separação reduz a chance de propagação de doenças e os resíduos sólidos são reutilizados e transformados em energia (por meio de empresas que processam fezes, como a Sanivation). A água usada para higienização também é filtrada e reutilizada para a mesma função. O custo para essa tecnologia altamente sustentável é de 40 dólares por item, mas a empresa diz estar se esforçando para reduzir ainda mais esse custo, fazendo com que ele se torne ainda mais acessível.

Confira esse vídeo de apresentação do projeto (em inglês) para entendê-lo melhor.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail