Cientistas desenvolvem técnica de captura de CO2 com bicarbonato de sódio

Microcápsulas preenchidas por bicarbonato de sódio têm se mostrado eficientes na captura de CO2 atmosférico

Imagem: John Vericella

Cientistas do laboratório Lawrence Livermore, em conjunto com pesquisadores da Universidade de Harvard e da Universidade de Illinois, ambas nos EUA, obtiveram um avanço no que diz respeito a tecnologias de captura de carbono.

O novo método desenvolvido consiste na fabricação de microcápsulas de revestimento feitas de um polímero altamente permeável e preenchidas com um fluido a base de uma solução de bicarbonato de sódio, que reage absorvendo o carbono atmosférico.

dióxido de carbono é um gás que retém calor, e que é emitido principalmente por indústrias e automóveis através da queima de combustíveis fósseis. Sua emissão para a atmosfera em grandes quantidades intensifica o aquecimento global e agrava o efeito estufa. Assim, o principal objetivo das cápsulas que estão sendo desenvolvidas é a captura desse carbono para minimizar suas concentrações na atmosfera.

Os métodos atualmente utilizados para a captura de carbono, apesar de bem-sucedidos, podem ser prejudiciais para o meio ambiente. O atributo chave da pesquisa que está se desenvolvendo é justamente se manter distante de fluidos corrosivos, aproximando-se de uma tecnologia mais limpa e menos prejudicial à natureza.

O bicarbonato de sódio é comum em todas as cozinhas e pode ser utilizado para diversas funções (veja mais aqui). Sua utilização como a substância química ativa do método desenvolvido é importante quando falamos em termos de mínimos impactos ambientais.

A questão da corrosividade também é um ponto forte nos fatores inovadores desta tecnologia, visto que os produtos químicos utilizados são menos danosos ao meio ambiente, além de se encontrarem encapsulados, evitando o contato direto com superfícies externas.

Ao contrário de adsorventes utilizados por outras tecnologias de captura de CO2, as microcápsulas reagem apenas com o gás de interesse, ou seja, com o CO2.

Normalmente o bicarbonato de sódio pode absorver o CO2 durante longos períodos de tempo, mas a reação não era suficiente para que fosse considerada eficaz à escala industrial. É aí que reside o "pulo do gato" da inovação do projeto das microcápsulas: a eficiência necessária está justamente em seu tamanho reduzido, o que aumenta a superfície de contato. As cápsulas forçam o bicarbonato de sódio a se alocar em gotas minúsculas, e gotas pequenas reagem mais rápido pela maior superfície de contato com o CO2 atmosférico.

Roger Aines, um dos pesquisadores do Laboratório Lawrence Livermore, afirma que será exigido um novo processo de captura, no qual o Laboratório de Tecnologia Nacional de Energia (NETL) está trabalhando.

Após as cápsulas serem completamente preenchidas pelo gás, elas são aquecidas para que o CO2 puro seja removido de seus interiores. A partir disso, ele pode ser reutilizado ou comprimido e armazenado no solo.

Imagem: Julie Russell

O projeto não é uma técnica de solução a curto prazo. Apesar disso, é sustentável. O bicarbonato utilizado no processo não apresenta problemas de reciclagem ou de degradação, podendo ser reutilizado.

Stuart Haszeldine, professor na Universidade de Edinburgh afirma que uma das grandes barreiras para a captura e armazenamento de carbono é o custo, que atualmente se encontra por volta de 100 dólares por uma tonelada.

"Achamos que a tecnologia das microcápsulas fornecem uma nova maneira de se realizar a captura de carbono de forma eficiente e com menos problemas ambientais. Capturar as emissões de carbono mundiais é uma tarefa enorme. Precisamos de tecnologias que possam ser aplicadas a muitos tipos de fontes de dióxido de carbono com a total confiança do público em sua segurança e sustentabilidade", afirma Aines.

Veja também:
-Substitua os produtos de limpeza por receitas com bicarbonato de sódio
-A lista do perigo silencioso: conheça os principais poluentes atmosféricos
-Para os que ainda negam o aquecimento global
-Um filme para seus filhos conhecerem o aquecimento global
-Cientista diz que é possível lucrar com a retirada de CO2 da atmosfera


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail