Greenpeace cria jogo online para conscientizar pessoas sobre a pesca predatória

Pesca de atum vitima tubarões, arraias e tartarugas marinhas

O Greenpeace é conhecido pelas grandes ações realizadas em favor do meio ambiente contra problemas como a poluição dos mares ou o aquecimento global. Dessa vez, a ONG inovou e desenvolveu uma de suas campanhas mais criativas e divertidas.

Para alertar sobre a necessidade da adoção de um sistema de pesca sustentável, a ONG criou Shark vs. Mermaid Death Squad , um jogo de computador inspirado no clássico Pac-Man em que o jogador, controlando um tubarão, uma tartaruga marinha ou uma arraia, deve salvar os peixes dos mascotes de empresas multinacionais.

Perigo no oceano

De acordo com o Greenpeace, em torno de 100 milhões de tubarões e dezenas de milhares de tartarugas morrem todos os anos por terem ficado presos nas redes de pesca espalhadas pelos pescadores em busca de atum.

Além disso, de acordo com a International Union for Conservation of Nature (IUCN), espécies populares entre os pescadores, como o atum patudo e o Albacora-cachorra, estão em risco de extinção.

A ideia do Greenpeace é levar a mensagem sobre o perigo enfrentado por essas espécies de atum para o maior número de pessoas possível através da popularidade do jogo.

Cada fase leva o nome de uma rede de supermercados americanos, que são classificadas em ordem de dificuldade crescente de acordo com a respectiva política de venda de peixes e frutos do mar. A última fase, como é de se imaginar, leva o nome da rede de supermercados com política mais predatória.

Clique aqui para jogar gratuitamente e compartilhe a diversão com amigos para que todos se conscientizem.

Veja também:
-Robô marinho coleta lixo do oceano
-Acidificação dos oceanos: um grave problema para o planeta
-Restaurante japonês “multa” clientes por restos deixados no prato


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail