Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Um ano e meio é o tempo mínimo para que as vacinas possam ser desenvolvidas, segundo órgão internacional

Imagem: Fernanda Carvalho / Fotos Públicas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou, no dia 12 de fevereiro, que uma vacina para o vírus zika, que pode estar relacionado com casos de microcefalia e problemas neurológicos, não vai estar disponível para ensaios clínicos antes dos próximos 18 meses.

“Apesar do cenário encorajador, as vacinas vão demorar pelo menos 18 meses para poderem estar prontas para um ensaio [clínico] em larga escala”, disse Marie-Paule Kieny, vice-diretora da OMS encarregada do departamento de Sistemas de Saúde e Inovação.

A vice-diretora acrescentou que a organização identificou 15 laboratórios que trabalham no desenvolvimento de uma vacina para o zika.

A OMS declarou, no início de  fevereiro, emergência de saúde internacional devido à possível relação entre os casos de microcefalia em recém-nascidos registrados no Brasil com o vírus zika, apesar de declarar que esta ligação ainda não foi provada cientificamente.

Transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, o Brasil é o país mais atingido no mundo pela epidemia de zika, com três mortes, em adultos, confirmadas.

Fonte: Agência Brasil e Agência Lusa

Veja também:
Vacina contra o zika não deve ser concluída em menos de dois anos, diz ministro
Fiocruz desmente boatos de que zika cause problemas neurológicos em crianças