Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Phoneblock: o smartphone em que cada componente é um bloco que pode ser adicionado, movido ou completamente removido

Quem nunca brincou com blocos de montar? Antes da era dos videogames, era assim que a criançada “viajava” por cidades imaginárias: blocos sobre blocos, algumas pecinhas a mais e voilá: eis um banco, um prédio ou qualquer outra coisa que a imaginação pudesse conceber!

O grande barato dessa brincadeira é que você nunca descartava suas peças mais antigas; sempre podia juntá-las com as mais novas e inventar alguma outra coisa. Às vezes, até brincamos disso na nossa vida real quando compramos aquele carro velho e montamos do nosso jeito, pouco a pouco. Enfim, todo mundo gosta de dar seu toque pessoal às coisas.

Então, por que não fazer isso com nossos smartphones? Quantas vezes mudamos de aparelhos (para estarmos em dia com as novas versões lançadas a cada semestre) e descobrimos que o antigo tinha uma ou outra coisa que a gente preferia? Ou que as mudanças são tão poucas que não valiam tanto dinheiro gasto? As inovações, sejam elas estéticas ou funcionais, nem sempre agradam. Nessas horas, como gostaríamos que o nosso celular fosse feito com blocos de montar!

Isso está virando realidade. O designer holandês Dave Hakkens desenvolveu um conceito de celular que lembra muito essa brincadeira: o Phoneblock (veja o vídeo abaixo).

Descrito como um telefone que vale a pena manter, seu dispositivo usa uma série de componentes modulares que se conectam a uma base, ou uma placa-mãe de vários tipos. Cada componente do telefone é um bloco que pode ser adicionado, movido ou completamente removido. Se você guarda seus dados na nuvem ou usa bluetooth, é possível remover o bloco de armazenamento e adicionar um bloco de bateria com mais capacidade. Também é possível trocar o bloco de câmera ou trocar de processador.

O telefone foi feito em uma plataforma aberta, mas para dar andamento ao projeto, Hakkens precisa juntar as pessoas e as empresas certas. Por isso, ele se associou a Thunderclap, uma plataforma de crowdfunding (financiamento colaborativo).

Para saber mais acesse o site oficial do projeto.