Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Comunidades do município de Afuá, que produz diariamente cerca de 900 toneladas de açaí, participaram de capacitação sobre conservação e manejo de recursos naturais

Do final de setembro a início de outubro, o projeto Bem Diverso — fruto de uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) — capacitou produtores paraenses de açaí para ensiná-los a administrar suas plantações sem ameaçar a biodiversidade da região de Marajó.

A iniciativa envolveu comunidades do município de Afuá, que receberam treinamento sobre práticas de manejo agrícola, acesso a mercados e crédito e políticas públicas de compra de alimentos. O objetivo é garantir que as atividades extrativistas não madeireiras sejam sustentáveis.

Segundo a agência da ONU, as principais ameaças à conservação das florestas no arquipélago são o desmatamento para a produção de madeira serrada, a exploração excessiva de açaí, o uso de fogo na agricultura de subsistência, a gestão inadequada dos recursos naturais e a criação de búfalos que tornam os solos compactos em estações chuvosas e destroem a vegetação nativa.

“Ao mesmo tempo em que você enxerga muita riqueza natural nesta região, há um povo que não alcança bons índices de desenvolvimento humano”, alertou o pesquisador responsável pelo projeto junto à Embrapa Amapá, Silas Mochiutti.

Afuá tem um índice de desenvolvimento humano de 0,489 — um dos menores do Brasil. Lar de cerca de 4,5 mil famílias, a cidade produz diariamente uma quantidade aproximada de 900 toneladas de açaí.

“Vamos trabalhar juntos o manejo e implementar uma unidade de aprendizado. Nessa unidade, troca-se conhecimento técnico e o conhecimento tradicional do ribeirinho”, ressalta Mochiutti.

“Estamos otimistas porque teremos a questão do melhoramento da produção, do manejo do açaizal, espaçamento, para que a gente possa produzir mais e melhor”, conta o líder comunitário do Ilha do Meio do arquipélago, onde está localizado o município, Francisco Nazaré de Almeida.

Capacitação também em Minas Gerais

Dos dias 18 a 24 de setembro, o Bem Diverso esteve presente em Minas Gerais, onde capacitou cerca de trinta pequenos agricultores cafeeiros da comunidade Verdade Funda, no município de Rio Pardo de Minas. O curso abordou o manejo de matérias orgânicas do cultivo de café.

O projeto do Pnud e da Embrapa é financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente. A iniciativa, que teve início em 2015, abrange partes do Brasil e promove a preservação de diferentes biomas e ecossistemas.


Fonte: ONUBr

Veja também: