Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

A parceria é facilitada pela campanha Mares Limpos do PNUMA, uma coalizão global composta por 63 países dedicados a acabar com a poluição marinha por plástico

Por Nações Unidas BrasilO Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e o Secretariado da Convenção Quadro da Organização Mundial da Saúde para o Controle do Tabaco (FCTC da OMS) lançaram uma parceria para aumentar a conscientização e ações sobre os impactos dos microplásticos nos filtros de cigarro na saúde humana e no meio ambiente.

Por meio de uma campanha de mídia social, a parceria terá como objetivo engajar influenciadores, Embaixadores da Boa Vontade do PNUMA e Jovens Campeões da Terra para aumentar a conscientização sobre os problemas que envolvem os microplásticos.

A parceria é facilitada por meio da campanha Mares Limpos do PNUMA – uma coalizão global composta por 63 países dedicados a acabar com a poluição marinha por plásticos.

Uma nova parceria da ONU, entre Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e o Secretariado da Convenção Quadro da Organização Mundial da Saúde para o Controle do Tabaco (FCTC, sigla em inglês), anunciada no dia 2 de fevereiro, visa aumentar a conscientização sobre os impactos ambientais e de saúde dos microplásticos nas pontas de cigarro, o item de lixo mais descartado em todo o mundo. 

Os órgãos das Nações Unidas lançarão uma campanha de mídia social para destacar o assunto. A parceria é facilitada pela campanha Mares Limpos do PNUMA, uma coalizão global composta por 63 países dedicados a acabar com a poluição marinha por plástico. Ela combina as respectivas experiências das duas agências nas dimensões de saúde, política dos produtos de tabaco, pesquisa e defesa da poluição plástica. 

Montanha de lixo tóxico – Globalmente, mais de seis trilhões de cigarros são produzidos anualmente, cada um contendo filtros, ou pontas, que são compostos principalmente de microplásticos conhecidos como fibras de acetato de celulose. 

Bitucas de cigarro que não são descartadas adequadamente são decompostas por fatores como luz solar e umidade, liberando microplásticos, metais pesados ​​e muitos outros produtos químicos que afetam serviços de saúde e os ecossistemas. 

As pontas de cigarro são responsáveis ​​por mais de 766 milhões de quilos de lixo tóxico a cada ano. Eles também são o lixo plástico mais comum nas praias, tornando os ecossistemas marinhos mais suscetíveis a vazamentos de microplásticos. 

Quando ingeridos, os produtos químicos perigosos nos microplásticos causam mortalidade a longo prazo na vida marinha, incluindo pássaros, peixes, mamíferos, plantas e répteis.  

Esses microplásticos também entram na cadeia alimentar e estão associados a sérios impactos na saúde humana, que podem incluir mudanças na genética, desenvolvimento cerebral, taxas de respiração e muito mais. 

Ativismo que muda – A campanha digital terá como objetivo engajar influenciadores, bem como Embaixadores da Boa Vontade do PNUMA e Jovens Campeões da Terra. 

Também incluirá um ângulo de defesa política, destacando uma diretiva recente da União Europeia que exige que todos os produtos de tabaco com filtros de plástico sejam rotulados claramente. O objetivo é incentivar o público a defender mudanças semelhantes globalmente. 

“A Secretaria da FCTC da OMS tem o conhecimento técnico do impacto dos produtos do tabaco não apenas na saúde humana, mas também no meio ambiente”, disse o chefe de promoção pública do PNUMA, Atif Butt.

“Ao unir a experiência do PNUMA e da Secretaria da FCTC da OMS sob a experiência de ativismo da Mares Limpos em microplásticos, pretendemos destacar como nossa saúde está intrinsecamente ligada à do nosso planeta”, explica Butt.