Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Pesquisa coloca em cheque viabilidade ambiental dos carros elétricos, que são mais pesados e liberam mais substâncias tóxicas pelo atrito dos pneus com o solo em comparação a veículos convencionais

Uma pesquisa, realizada pela empresa Emissions Analytics, revelou que os pneus de carros convencionais produzem mais de 1 trilhão de partículas ultrafinas (menores que 23 nanômetros) para cada quilômetro percorrido. De acordo com os pesquisadores, quase 2 mil vezes mais poluição por partículas é produzida pelo desgaste dos pneus do que é bombeado para fora dos escapamentos dos carros modernos.

As partículas dos pneus poluem o ar, a água e o solo e contêm uma ampla gama de compostos orgânicos tóxicos, incluindo carcinógenos conhecidos. O peso crescente dos carros significa que mais partículas estão sendo lançadas pelos pneus à medida que se desgastam na estrada. Os testes da Emissions Analytics mostraram que, todos os anos, são liberadas 300.000 toneladas de borracha de pneu no Reino Unido e nos EUA, apenas de carros e vans.

A Emissions Analytics encontrou produtos químicos presentes em 250 tipos diferentes de pneus, que geralmente são feitos de borracha sintética, derivada do petróleo bruto. 

Ao jornal The Guardian, Nick Molden, da Emissions Analytics, afirma que “Não se trata de impedir as pessoas de dirigir ou ter que inventar pneus novos completamente diferentes. Se você puder eliminar a pior metade e talvez colocá-la em linha com a melhor da classe, poderá fazer uma enorme diferença. Mas, no momento, não há ferramenta regulatória, não há vigilância.”

A análise revelou que os desgaste dos pneus produz significativamente mais pequenas partículas do que grandes. Isso significa que, embora a maioria das partículas em número seja pequena o suficiente para se espalhar pelo ar e contribuir para a poluição do ar, elas representam apenas 11% das partículas em peso. No entanto, os pneus ainda produzem centenas de vezes mais partículas no ar em peso do que os escapamentos.

Esse dado coloca em cheque a ideia de que os carros elétricos sejam mais viáveis ambientalmente do que os convencionais. Isso porque o peso dos veículos elétricos a bateria (BEVs) é maior do que o peso dos carros convencionais, o que, consequentemente, aumenta o desgaste dos pneus e a poluição ambiental.

Outra pesquisa recente sugeriu que as partículas de pneus são uma das principais fontes de microplásticos que poluem os oceanos. Um produto químico específico usado em pneus foi associado a mortes de salmão nos EUA e a Califórnia propôs uma proibição este mês.