Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Conheça os benefícios do ovolactovegetarianismo e quais são os alimentos pertencentes à essa dieta

O ovolactovegetarianismo, também chamado simplesmente de vegetarianismo, é um tipo de dieta vegetariana — ou seja, que exclui o consumo de todo tipo de carne. Diferentemente do vegetarianismo estrito (ou veganismo), o ovolactovegetarianismo, como previsto pelo nome do plano alimentício, inclui o consumo de alguns alimentos de origem animal, como os ovos e o leite. Independente disso, esse tipo de vegetarianismo pode ser extremamente benéfico. 

A escolha para adotar a dieta vegetariana pode variar. Seja pelo bem-estar animal, saúde, razões religiosas ou até mesmo pelo meio ambiente, o ovolactovegetarianismo inclui diversas pessoas com motivos diferentes em um mesmo plano alimentício. De qualquer modo, ela traz benefícios incríveis para a saúde, incluindo a possibilidade de prevenção de doenças crônicas e síndromes metabólicas. 

Além do ovolactovegetarianismo, a Sociedade Vegetariana Brasileira reconhece três tipos de vegetarianismo, mais o veganismo (que é considerado um estilo de vida e não apenas uma dieta). São eles o lactovegetarianismo, ovovegetarianismo e o vegetarianismo estrito. 

Do que consiste uma dieta ovolacto 

Assim como os outros tipos de vegetarianismo, o ovolactovegetarianismo possui uma base de alimentação que inclui:

  • Grãos
  • Legumes
  • Vegetais
  • Frutas
  • Nozes
  • Fungos

Por outro lado, o que a difere de outros planos alimentares que excluem o consumo da carne é o consumo de ovos e laticínios.

Benefícios 

Quando balanceado, o ovolactovegetarianismo possui diversos benefícios à saúde e ao meio ambiente. Confira alguns deles: 

Melhora na saúde do coração

O consumo de carne está associado à inflamação, uma condição que pode aumentar os riscos de doenças crônicas, como a diabetes tipo 2, câncer e doenças cardiovasculares. De acordo com uma pesquisa publicada em 2013, vegetarianos têm uma probabilidade menor de morrer ou serem hospitalizados por doenças cardíacas.

Isso se dá ao alto consumo de fibras alimentares, característica das dietas sem carne. As fibras ajudam no controle dos níveis de açúcar no sangue, que diminuem o colesterol e consequentemente diminuem as chances do desenvolvimento de doenças cardiovasculares. 

Reduz os riscos de desenvolvimento de câncer

Uma pesquisa publicada no BMC Medicine indica que pessoas que comem menos carne, ou não comem carne em geral, possuem menos chances de desenvolver câncer. De acordo com o resultado da pesquisa, veganos e vegetarianos tinham 14% menos chances de desenvolver a condição em comparação com os participantes que comiam carne mais de cinco vezes por semana. 

Além da isenção da carne, também associada ao desenvolvimento da doença, especialistas acreditam que essa característica do vegetarianismo é um resultado do alto consumo de frutas e vegetais, uma vez que vegetarianos são mais propensos a adquirir as cinco porções diárias necessárias desses alimentos. 

Prevenção e tratamento de diabetes 

O consumo desses grupos de alimentos, principalmente os ricos em fibras, nozes, grãos integrais e outros alimentos com baixo índice glicêmico pode ajudar na prevenção da diabetes, uma doença altamente associada à má alimentação. Embora não tenha cura, o plano alimentício do ovolactovegetarianismo, quando balanceado, pode manter a diabetes estável o suficiente para uma vida saudável. 

Além disso, uma pesquisa de 2011 comprovou que, em comparação com não-vegetarianos, pessoas vegetarianas são menos propensas a desenvolver diabetes tipo 2. 

Perda de peso 

De acordo com uma análise publicada em 2016, a mudança para o ovolactovegetarianismo pode ajudar na perda de peso em curto prazo. Apesar de não contar com muitos estudos na área, o alto consumo de fibras e antioxidantes  pode auxiliar no processo de emagrecimento. 

Um estudo publicado em 2011 comprovou que a cada aumento de dez gramas no consumo de fibra solúvel, o ganho de gordura da barriga diminui em 3,7% em um período de cinco anos. Os alimentos ricos em fibras também aumentam a sensação de saciedade, podendo ajudar no controle da fome.

Melhora para o meio ambiente

A indústria pecuária é uma grande contribuinte para o aquecimento global a poluição ambiental. As emissões de gases do efeito estufa, desmatamento de áreas verdes para campos de pasto e outros fatores desse mercado causam impactos significativos no meio ambiente. Portanto, seguindo a lógica, a redução de consumo dos produtos dessa indústria faria bem ao meio ambiente. 

Possíveis riscos

Quando o plano alimentício é baseado nas dependências do organismo, o ovolactovegetarianismo é extremamente seguro e uma das dietas mais saudáveis que existem. Porém, existem alguns cuidados a serem tomados na hora de transicionar para qualquer dieta vegetariana. 

O corte da carne, por exemplo, deve ser compensado com altos níveis de proteína vegetal. Já a vitamina B12, que também é isenta na alimentação vegetariana, deve ser suplementada. 

A suplementação na dieta ovolactovegetariana deve ser feita com a ajuda de um nutricionista ou outro profissional da saúde e geralmente inclui o consumo de ferro, ácido fólico, vitamina B12, vitamina D e ômega-3.

Como virar ovolactovegetariano? 


Quer virar ovolactovegetariano por seus incríveis benefícios à saúde? Assista o nosso vídeo “Dicas para ser vegetariano nos dias úteis da semana” e comece a cortar a carne do seu dia a dia!