Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Já parou para pensar no caminho que o cocô faz pelos canos? Lá no final ele se junta a muitas outras coisas, formando lodo e dando origem a novos projetos

Tudo o que nós comemos tem que sair do nosso corpo uma hora, certo? E é através do cocô que eliminamos o que não foi usado pelo nosso organismo: depois que todos os nutrientes necessários foram retirados dos alimentos ingeridos, forma-se o bolo fecal, que será eliminado.

Quando defecamos no vaso sanitário de nossas casas, o cocô é levado pela água, através de um caminho de canos, até chegar à estação de tratamento. Lá, a água que trouxe as fezes se encontra com a que trouxe xixi e com a que veio do banho (contendo resíduos de xampu e sabonete).

Um grande problema é que, na estação de tratamento, não há apenas um acúmulo de excretas humanas, mas também existem camisinhas usadas e papel higiênico descartados pelo vaso, celulares que foram perdidos esgoto abaixo, e móveis que foram jogados diretamente nem um córrego de esgoto. E os canos que participam do processo de tratamento acabam sendo entupidos por esses materiais que foram descartados de forma errada.

Na estação, bactérias são adicionadas para degradar o material orgânico que veio pelos canos, formando o lodo e limpando a porção líquida do esgoto. O lodo continuará a ser degradado por bactérias, que liberarão metano, enquanto que a água, limpa porém não potável, será devolvida a rios ou usada pra limpeza de ruas ou manutenção de jardins.

O reprocessamento de água pode trazer de volta nutrientes importantes que derivaram de atividades econômicas ou domésticas, como a recuperação de fosfatos presentes em fertilizantes e que serviriam para gerar adubo e, em certas localidades, até energia. A água do esgoto poderia então ser uma rica fonte de matéria-prima. Mas não é por isso que devemos dar destino errado ao lixo que produzimos. Veja mais dicas aqui sobre como reciclar seus resíduos.

Fonte: Grist

Veja também:
Cidade espanhola ambiciona transformar água residual em biocombustível
Há 40 anos, poluição nos rios paulistanos já era alvo de debate. Problema persiste.
Descarte incorreto de óleo lubrificante pode gerar danos irreversíveis à saúde e ao meio ambiente