Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O lobo-guará vive em campos abertos em países como Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e Peru

O lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) é o maior canídeo selvagem da América do Sul, medindo entre 95 e 115 cm de comprimento e pesando entre 20 e 30 kg. Ele possui características morfológicas peculiares entre os canídeos, como patas longas e finas, pelos longos e laranja-avermelhados e orelhas grandes. O lobo-guará pode ser encontrado em áreas de Cerrado e campos abertos no Brasil, oeste da Bolívia e do Paraguai e norte da Argentina.

O termo “guará” tem origem na língua indígena Tupi e significa vermelho, em referência à coloração predominante laranja-avermelhada da pelagem.

Taxonomia

  • Nomes Comuns: Lobo-guará, Lobo-de-crina;
  • Filo: Chordata;
  • Classe: Mammalia;
  • Ordem: Carnivora;
  • Família: Canidae;
  • Gênero e espécie: Chrysocyon brachyurus.

Principais características do lobo-guará

O lobo-guará apresenta padrão de atividades crepuscular-noturno e hábito alimentar onívoro com a dieta baseada em frutos e pequenos vertebrados. Além disso, ele possui comportamento solitário, juntando-se em casais apenas na época reprodutiva. 

O tamanho da área ocupada por casais é bem variável ao longo de sua distribuição – variando de 6 a 115 km2, dependendo da qualidade dos habitats acessíveis e da disponibilidade alimentar. A estrutura em casais permite que o lobo-guará participe das atividades de cuidado parental com os filhotes. 

Distribuição geográfica do lobo-guará

O lobo-guará vive em campos abertos em países como Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e Peru. Segundo estimativas, 90% da população de lobos-guará se encontra em território nacional. No entanto, a espécie está classificada na categoria “vulnerável” da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da International Union for Conservation of Nature (IUCN), estando quase ameaçada de extinção. 

Mitologia e ameaças

O lobo-guará é cercado por histórias e lendas que contribuem para o declínio de sua população. Crendices populares como a de que arrancar o olho esquerdo de um animal vivo traz sorte a aquele que conseguir ou a de que arrancar as longas patas e guardá-las traz virilidade ao homem servem para estimular a prática de crueldades aos lobos-guarás.

No entanto, as maiores ameaças enfrentadas pelos lobos-guarás derivam de atividades voltadas ao desenvolvimento socioeconômico do País. Entre elas, pode-se citar a substituição da vegetação nativa por cultivos diversos, a fragmentação dos habitats pela expansão das áreas agrícolas e urbanas e a consequente ampliação da malha rodoviária, a introdução de espécies exóticas e a disseminação de doenças associadas.

PAN Lobo-guará

O Plano de Ação Nacional para a Conservação do Lobo-guará teve como objetivo reverter o declínio populacional da espécie em sua área de distribuição, reduzindo a categoria de ameaça. O PAN Lobo-guará foi encerrado em 2016, com 68% de suas ações concluídas. 

A partir disso, a espécie Chrysocyon brachyurus passou a ser contemplada no Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Canídeos Silvestres – PAN Canídeos, coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros – CENAP, publicado em julho de 2018.