Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

O avanço do empreendedorismo indígena é essencial para a manutenção de culturas tradicionais

O empreendedorismo indígena é um campo importante para a preservação da cultura de sociedades tradicionais. A organização do empreendedorismo indigena é diferente da realizada pela sociedade hegemônica. Povos indígenas se organizam por meio de laços familiares, e sua formação empreendedora não está necessariamente ligada às demandas do mercado.

Como o empreendedorismo indígena funciona 

Diferente do que se vê no capitalismo ocidental, a economia indígena costuma apresentar elementos de igualitarismo, partilha e atividade comunitária. O empreendedorismo indígena usa dos recursos que estão disponíveis para conseguir disseminar sua cultura e manter seu povo financeiramente protegido

Dependendo da comunidade, o empreendedorismo indígena pode funcionar de maneira não regular. Ou seja, cada povo tem seu tempo e dia de trabalho, que não necessariamente se encaixa na ideia de trabalho cinco dias por semana do capitalismo.  

A forma como uma certa comunidade indígena opta por exercer seu empreendedorismo depende muito de seus conhecimentos e dos produtos disponíveis. Algumas dessas sociedades tradicionais preferem investir em artesanato, enquanto outras comercializam alimentos que crescem em suas terras.  

O empreendedorismo indígena começou a ganhar força quando essas comunidades tiveram contato com o capitalismo de outras sociedades. Como uma forma de obter dinheiro por meio de seu trabalho, e assim manter a cultura do seu povo em meio ao avanço da globalização, os indígenas criaram sua própria versão de empreendedorismo.

Antes da pandemia do coronavírus, era comum no Brasil que o empreendedorismo indígena investisse no turismo de suas terras. Os povos realizavam feiras, festivais e excursões em seu território como caminho para o suporte financeiro. Depois da Covid-19, essas comunidades precisaram se reinventar. 

Foi assim que surgiu o e-commerce do empreendedorismo indígena. Com a ajuda de projetos sociais e profissionais da área, alguns povos levaram seu trabalho para os meios digitais. Desta forma, foi possível manter suas vendas e fazer uma transição para a internet, o que tem acontecido cada vez mais no mundo graças ao avanço da tecnologia. 

Qual a importância do empreendedorismo indígena na sociedade? 

Em estudo, publicado pelo Journal of Australian Indigenous Issues, os pesquisadores encontraram um potencial importante no ato de indígenas empreenderem em suas culturas. Para os estudiosos, essa ação pode ser essencial quando se trata de gerar um crescimento no setor de startups indígenas. 

O empreendedorismo é um grande estimulador do progresso social, econômico e tecnológico. Para essas sociedades, ele também pode ser uma via de apoio às fundações culturais indígenas. A manutenção do empreendedorismo indígena cria emprego e aumenta a participação do trabalho para esses povos. Isso gera benefícios tanto de saúde como de qualidade de vida, e ainda tem um impacto positivo na economia do país. 

Segundo o Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas, os povos indígenas foram os mais afetados pela pandemia no mercado de trabalho dos últimos anos. O estudo utilizou dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2020, e chegou a conclusão que o desemprego entre esse grupo etnico dobrou mais do qualquer outro grupo e que sua renda foi reduzida em aproximadamente 28,6%. 

O crescimento do empreendedorismo indígena ajuda essas comunidades a trabalhar com seus recursos e viver de sua cultura, além de reduzir significativamente as desigualdades financeiras desses povos. 

Como apoiar o empreendedorismo indígena? 

Alguns empreendedores indígenas preferem dar prioridade às suas comunidades locais, em vez de trabalharem apenas com intenções financeiras. Isso mostra que o empreendedorismo indígena não precisa ter os mesmo objetivos de grandes empreendedores e empresas. 

No entanto, existem formas de auxiliar esses empreendedores indígenas para que eles consigam manter seus negócios e tenham um alcance maior em sociedade. Afinal, é importante ter representatividade étnica, que prove que qualquer pessoa é capaz de ser dona de seus meios de produção. 

Além disso, apoiar o empreendedorismo indígena também é uma forma de manutenção daquela cultura. Comprando de um comerciante indígena, você apoia a existência da cultura e sua luta pelo reconhecimento. Confira a seguir algumas dicas para apoiar esses empreendedores:

  • Compre alimentos, artesanato e outros produtos que sejam feitos por indígenas;
  • Invista no desenvolvimento de startups indígenas;
  • Preste suporte direto com educação, treinamento e mentoria de empreendimento para esses povos;
  • Ouça as comunidades indígenas, entenda suas necessidades e respeite suas crenças;
  • Lute com esses povos pela sua preservação e seus direitos;

Exemplos de empreendedorismo indígena 

Um exemplo importante para o empreendedorismo indígena é a comunidade WaiWai, que habita as florestas do sul de Roraima. Nessa comunidade, os moradores trabalham em comunhão na produção de castanha-do-Pará. Juntos, o povo preserva a biodiversidade da sua terra e ainda mantém sua qualidade de vida financeira. 

Outros exemplos são as comunidades indígenas do Acre, que trabalham com a venda de artesanato on-line, e a estilista We’e’ena, que além de produzir peças de roupa, trabalha com a venda de bonecas indígenas.