Chapa de vidro inspirada no funcionamento de teias de aranha evita colisões de pássaros

eCycle

O vidro parece transparente para os seres humanos, mas é visível para os pássaros, pois eles conseguem perceber um espectro de UV mais amplo que o nosso

Com o intuito de reduzir as colisões de pássaros nas janelas dos prédios, uma empresa com sede na Alemanha, a Arnold Glas, desenvolveu uma chapa de vidro diferente. Chamada de Ornilux, a chapa utiliza um revestimento de luz ultravioleta (UV) reflexivo, que parece transparente aos seres humanos, mas é claramente visível para os pássaros.

Isso ocorre porque esses animais conseguem ter percepção de um espectro de UV mais amplo que o dos humanos. É possível ter noção dessa diferença a partir de algumas imagens. A projeção abaixo é a visão de um pássaro sobre o novo modelo de chapa de vidro. Já a de cima, é a visão de um ser humano sobre o mesmo material.

A empresa decidiu criar essa nova chapa de vidro a partir do contato que teve com pesquisas a respeito da morte de pássaros. Na Europa, 250 mil aves morrem todos os dias devido a colisões com vidro. Nos EUA, esse número é estimado em centenas de milhões. Portanto, a janela é uma das maiores ameaças à vida de pássaros em ambiente urbano. Isso acontece porque os pássaros não percebem a existência de vidro ou confundem o reflexo com a realidade.

Ornilux tem sido testada em cooperação com a American Bird Conservancy e tem demonstrado, segundo seus produtores, ser uma solução eficaz para reduzir as colisões de pássaros com vidro em prédios, especialmente em áreas onde a transparência é a principal prioridade. Apesar de não ser uma solução 100% eficaz, a maioria dos pássaros respondeu bem aos testes - cerca de 66% das aves "enxergaram" o vidro.

A ideia da empresa para criar essa chapa de vidro veio da biomimética, que é a ciência que se inspira na natureza para resolver os problemas atuais da humanidade. E, nesse caso, os seres vivos que serviram como base para o projeto foram algumas espécies da aranha, a partir do modo como elas incorporam fios de seda UV reflexivos, em suas teias. Com isso, elas conseguem atrair e distrair insetos ou alertar aos animais maiores, incluindo as aves, para que se afastem.

Ornilux foi introduzida pela primeira vez na Europa, em 2006, e está disponível na América do Norte desde 2010. Ainda não há previsão para a chegada do produto no Brasil.

Confira o vídeo (em alemão com legenda em inglês) abaixo, para ter mais informações:

Imagem: Ask Nature

Veja também:
-
"Pele inteligente" para revestir edifícios promete aumentar eficiência energética
-
Braço biônico inspirado em movimento da tromba do elefante ajuda em laboratórios
-
Biomimética: a ciência que se inspira na natureza


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail