Vespas servem como base para o desenvolvimento de células de energia solar

eCycle

Biomimética estuda habilidade do inseto de absorver energia solar

Ao estudar as vespas mandarinas, cientistas da Universidade de Tel-Aviv, em Israel, descobriram uma característica intrigante: o inseto consegue “absorver” a luz solar e, através de um sistema de nanoestruturas, direcionar a energia para células de pigmento que alimentam as próprias vespas.

Pensando em tentar replicar essa ideia no armazenamento de energia solar, utilizando-se dos conceitos da biomimética, os pesquisadores desenvolveram uma célula solar semelhante ao pigmento encontrado no inseto. No entanto, por não conter todos os sulcos e depressões que existem no abdômen da vespa, além de pigmentos, não houve eficiência muito alta. Agora, o estudo está focado exatamente em entender e remontar as nanoestruturas, que direcionam a energia à célula.

Essa descoberta é importante pelo fato de, ao contrário das outras células solares existentes, as desenvolvidas a partir do estudo das vespas não levam compostos inorgânicos em sua composição.

De maneira geral, a pesquisa abre novos campos de estudo na área, que podem utilizar o resultado desse trabalho para desenvolver novas técnicas, mais eficientes que as já existentes.


Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail