Apoio: Roche

Saiba onde descartar seus resíduos

Verifique o campo
Inserir um CEP válido
Verifique o campo
Lightbulb

Alunas da Faculdade de Direito da USP, em São Paulo, estão com financiamento coletivo para arrecadar dinheiro e comprar kits de higiene

Falta de acesso a produtos menstruais e à infraestrutura adequada para o manejo da menstruação. A pobreza menstrual é um problema com impactos que vão da saúde a custos econômicos, segundo o Banco Mundial e agências da ONU. Com a pandemia de covid-19, o acesso a absorventes e itens de higiene menstrual piorou, inclusive em unidades prisionais. A suspensão das visitas físicas prejudicou a entrega dos chamados “jumbos”, conjunto de itens de higiene, vestuário e alimentação levado pelas famílias e que contribui para garantir condições um pouco mais dignas nos precários presídios brasileiros.

Um grupo de alunas da Faculdade de Direito (FD) da USP, em São Paulo, quer ajudar a melhorar essa realidade de mulheres encarceradas e está organizando a segunda versão da campanha “Entre Isolamento, Laços”. A iniciativa é da Enactus USP São Francisco e pretende arrecadar R$ 10.400,00. O valor será convertido em kits de higiene contendo xampu, condicionador, sabonete, absorventes e pasta de dentes. Eles serão distribuídos para todas as mulheres da Penitenciária Feminina da Capital (PFC), em São Paulo.

No ano passado, a primeira versão da campanha contou com duas edições. Na primeira, o time arrecadou R$ 6 mil que permitiram a compra de 8.121 produtos de higiene, doados às 48 mulheres da ala materna da PFC, auxiliando também cada um de seus 35 bebês. Em um segundo momento, foram arrecadados R$ 17.982,00 transformados em 21.414 itens doados. Cada uma das 514 reeducandas dos pavilhões habitacionais da penitenciária recebeu 1 kit com 32 absorventes, 5 sabonetes, 1 xampu, 1 condicionador, 1 pasta de dente e 1 escova de dente.

“A campanha ‘Entre Isolamento, Laços’ trouxe para o time Enactus USP São Francisco imensa felicidade e realização. Além de conseguir apoio a todas as mulheres da PFC, conseguimos atender parte da Penitenciária Feminina de Santana. Os laços sociais são imprescindíveis e, neste momento pandêmico, precisamos esticar nossa rede ainda mais longe – esta campanha foi capaz de nos proporcionar tal caminho”, destaca Micaela Marconi, presidente do time Enactus USP São Francisco.

A ação é forma que o time encontrou de continuar auxiliando o público-alvo do seu projeto Entrelaços, que foi suspenso em 2020 por conta da pandemia. O projeto começou em em 2016 e impactou mais de 100 mulheres na Penitenciária Feminina da Capital através de rodas de conversa, capacitações em educação financeira e oficinas de artesanato com o objetivo de estimular o desenvolvimento pessoal e o senso de empreendedorismo.

Os colares e pulseiras produzidos nessas oficinas foram vendidos e a renda integralmente repassada às mulheres. Essas ações permitiram que, em 2019, o projeto fosse reconhecido no Evento Nacional da Enactus Brasil (ENEB) com o prêmio pelo cumprimento do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 16 da ONU – Paz, Justiça e Instituições Eficazes.

Para contribuir e ajudar a melhorar as condições das mulheres encarceradas na PFC, basta doar pelo link http://vaka.me/2172935